Por marlos.mendes

RIO - O sonho de cerca de 25 mil moradores dos bairros de Boa Vista da Barra, Santa Teresinha, Cerâmica União, Recanto Feliz I e II, Morada do Vale, Califórnia, Bairro de Fátima, Estrela de Fátima, São Luís da Barra e São Francisco, que hoje pertencem a Barra do Piraí estão prestes a realizar um sonho acalentado há pelo menos 40 anos. A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) derrubou nesta quinta-feira o veto do governador Luiz Fernando Pezão a uma proposta que modifica os limites territoriais do município de Volta Redonda, no Sul do Estado, que passará a contar com esses onze bairros.  

O projeto de lei 733/11 é de autoria do deputado Edson Albertassi (PMDB), que defende a mudança como uma forma de melhorar o acesso dos moradores da região aos serviços públicos. "São aproximadamente 25 mil moradores desta região que dependem quase que exclusivamente dos serviços públicos de Volta Redonda", explica.

Segundo o deputado, já foram realizadas duas audiências públicas que constataram ser esta a vontade dos moradores. "Foi um processo cuidadoso, em que estudamos os limites territoriais, ouvimos a população e os prefeitos", relata. Albertassi explica que, a partir da publicação da lei nos próximos dias, haverá um prazo de seis meses para a readequação do território dos municípios. "Vou solicitar à Comissão de Assuntos Municipais da Alerj que atue nesse processo, auxiliando nesta mudança."

Para o presidente da Associação dos Moradores da Califórnia, Paulo César do Nascimento, a vitória está sendo encarada com muita cautela. "Nosso medo é de que haja alguma inconstitucionalidade nessa vitória, pois no projeto original havia o pedido de um plebiscito para que a população pudesse realmente opinar a respeito do desmembramento ou não. Vamos aguardar um pronunciamento da prefeitura de Barra do Piraí antes de comemorar".

Paulo César, que é de Paracambi, na Baixada Fluminense, mas mora em Califórnia há mais de 30 anos, tem duas filhas, uma de nove e outra de três anos, que nasceram e foram registradas em Volta Redonda, já que a cidade é mais próxima do bairro onde ele mora do que Barra do Piraí. "As pessoas daqui nascem em hospitais de Volta Redonda e são enterradas nos cemitérios de lá também. Os jovens estudam lá, as pessoas trabalham e fazem suas compras lá. Não há por que pertencer a Barra do Piraí", diz.

A nova lei será publicada no Diário Oficial nos próximos dias.

  


Você pode gostar