Saibreira poderá ser fechada após Alerj constatar problema ambiental

Uma das exigências que não está sendo cumprida determina que a empresa tem que molhar as ruas da vizinhança do bairro de Itaipu

Por O Dia

Belford Roxo (Rj) - A Meta Construção, que opera uma saibreira em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, poderá ter a licença cassada e a área de extração, de 431 mil m2, lacrada caso continue descumprindo as exigências da Licença de Operação (LO) concecida pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea). De acordo com o presidente da Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), deputado Waguinho (PMDB), que visitou o local nesta quinta-feira (28/05), várias irregularidades foram constatadas.

"Vamos convocar os donos da empresa Meta e representantes da Secretaria de Meio Ambiente de Belford Roxo e do Inea, que concedeu a licença ambiental para a atividade, para uma audiência na Alerj", garantiu o parlamentar. “A empresa recebeu a LO, mas essa licença tem condicionais que não estão sendo cumpridas, como a devastação de toda a área de extração. Se a Meta retira uma quantidade de saibro prescrita pela área técnica, tem que, automaticamente, fazer o reflorestamento”, assegurou a vice-presidente da comissão, deputada Lucinha (PSDB).

Uma das exigências da LO que não está sendo cumprida determina que a empresa tem que molhar as ruas da vizinhança do bairro de Itaipu de acordo com a movimentação da atividade de extração. Em média, o local recebe 50 caminhões por dia e cada veículo realiza três viagens, o que totaliza 150 viagens ao local. Outro problema verificado em desacordo com a LO mostrou que os caminhões saem do terreno sem a documentação que certifica a compra do saibro. "Isso indica que as empresas que recebem o material são coniventes com a sonegação fiscal praticada", declarou Waguinho. 

Carlos dos Santos mora em Itaipu há 12 anos e disse que convive com a mesma situação "há muito tempo", já que outras empresas chegaram a administrar o terreno antes da Meta Construção. "Quem mais reclama são as crianças. Os meus netos ficam com muita tosse", afirmou o aposentado, referindo-se à alergia contraída em decorrência da poeira. 

Últimas de _legado_O Dia no Estado