Por rosayne.macedo

Duque de Caxias (RJ) - Cerca de 50 micro e pequenas empresas (MPEs) da Baixada Fluminense vão se reunir nesta quinta-feira (18), na sede da Firjan em Duque de Caxias, com representantes da Braskem, maior petroquímica das Américas e líder mundial na produção de biopolímeros. O primeiro encontro com as fornecedoras do setor acontecerá das 10 às 12h e faz parte do programa Encadeamento Produtivo, desenvolvido em parceria com o Sebrae desde 2013.

As empresas foram convidadas a partir de um levantamento que mapeou aquelas com potencial para fornecer produtos e serviços e indicadas pela própria Braskem. Todas serão apresentadas à política de compras da companhia, bem como ao seu código de ética, à política de sustentabilidade e a outros temas, compartilhados com sua cadeia de fornecedores.

Empresas interessadas em fornecer para a companhia deverão assinar um termo de adesão e passarão a ser capacitadas pelo Sebrae/RJ. Elas passarão por um diagnóstico, com a indicação dos cursos necessários para participar do Núcleo Químico & Plástico. O objetivo é amadurecer sua gestão e cumprir normas ambientais para que possam expandir seu negócio com segurança.

Para Flávio Chantre, gerente de relações institucionais da Braskem, a competitividade do fornecedor garante melhores preços, prazos de entrega mais confiáveis, além do crescimento do potencial de inovação e otimização dos investimentos. “Acreditamos que esta ação é mais um estímulo para o fomento da cadeia produtiva no país. Com o programa, oferecemos a qualificação técnica e profissional necessária para que as empresas e os clientes sejam inseridos em grandes negócios”, afirma. 

Margareth Kelly Nascimento Souza, coordenadora do Sebrae/RJ na Baixada Fluminense II, explica que o setor químico e plástico tem significativa importância para Duque de Caxias e os municípios da região, devido à histórica proximidade com a Reduc (Refinaria Duque de Caxias, da Petrobras), onde 40% das indústrias locais se dedicam a este segmento.

"Na outra ponta desta vocação regional, estão as micro e pequenas empresas que não têm uma produção organizada, sustentável e devidamente certificada. Logo, enfrentam problemas quando procuram expandir suas atividades e fornecer para grandes clientes. Atender a este segmento, com foco em suas especificidades e necessidades, é uma iniciativa importante para o desenvolvimento local e para a geração de empregos, que fortalece os pequenos negócios”, explica.


Você pode gostar