Por rosayne.macedo

Rio - A licitação para a área central do Porto de Itaguaí será realizada dentro do Programa de Investimentos em Logística, lançado recentemente pelo Governo Federal. A garantia foi dada pelo diretor-geral da Agência Nacional dos Transportes Aquaviários (Antaq), Mario Povia, em recente audiência pública em Brasília.

A concessão é determinante para aumentar a capacidade de carga e o faturamento do terminal portuário, visto que atualmente dos 7 milhões de metros quadrados do porto, apenas dois milhões estão arrendados.

“A área do meio do Porto de Itaguaí vai ser licitada, o que vai dar maior competitividade”, afirmou Povia durante o encontro na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados, para discutir a situação portuária e o programa de concessões do governo federal.

Ainda de acordo com Povia, haverá mobilização entre técnicos da Antaq e da Secretaria de Portos da Presidência para acelerar o processo de planejamento e realização dos editais de concessão. “A Antaq está à disposição da Secretaria dos Portos, em sinergia para mitigar o tempo de análises de todos os processos”, disse o diretor-geral.

A confirmação de que a área central do Porto de Itaguaí será concedida à iniciativa privada foi recebida com satisfação pelo deputado federal Alexandre Valle (PRP-RJ), autor de requerimento para a realização da audiência.

“O porto é um dos principais propulsores das atividades econômicas de Itaguaí e demais municípios da Costa Verde, funcionando como um polo para fixação de empresas e indústrias que dependem das atividades do terminal", disse o deputado.

Segundo ele, no ano passado, o faturamento do porto girou em torno de R$ 300 milhões, mesmo com os problemas de assoreamento e deficiência de dragagem. "Com a ampliação e modernização do Porto, através da licitação da área central, o município de Itaguaí será diretamente beneficiado com aumento de arrecadação, haverá atração de empresas, gerando também mais empregos".

Para o deputado, o terminal reúne condições técnicas para ser o principal portode referência do Atlântico Sul. "Mas é necessário planejamento e investimento”, destacou Alexandre Valle.

Você pode gostar