Por paulo.gomes

Rio - A longa fila na abertura da 25ª Feira de Moda Íntima, Praia, Fitness e Matéria-Prima (Fevest), no Contry Clube de Nova Friburgo, sinalizava que a crise passaria longe dali. Com aumento de 20% nas vendas em relação ao ano passado, o evento termina nesta terça-feira comemorando a sucesso dos 100 expositores, entre confeccionistas e fornecedores.

Considerada a maior feira de lingerie da América Latina, a Fevest ocupa uma área total de 12 mil metros quadrados, tamanho de quase dois campos de futebol. Desde domingo, o local foi ocupado com estandes das indústrias de confecção, matéria-prima, serviço e tecnologia. Uma das novidades desta edição foi o destaque a modelos de roupas plus size.

Segundo o Sindicato das Indústrias do Vestuário de Nova Friburgo (Sindvest), a comercialização dos produtos deve ultrapassar, até o fim do evento, mais de R$ 50 milhões. Além disso, a cidade teve ocupação total da rede hoteleira e grande movimentação no setor de alimentação.

Marcelo Porto, presidente do Sindvest, destacou as medidas que a organização tomou para encarar o momento de freio no consumo. “O sucesso é fruto do trabalho prévio que realizamos. A gente trabalhou muito na divulgação e buscamos trazer produtos inovadores. Não adianta vender mesmice”.

Reportagem de Lucas Gayoso

Você pode gostar