Prefeitos definem detalhes de ato por refinaria do Comperj

Em encontro em Itaboraí, eles destacaram que movimento tem caráter institucional e não político

Por O Dia

Itaboraí (RJ) - Prefeitos e representantes de 12 municípios do Consórcio Intermunicipal do Leste Fluminense (Conleste) se reuniram nesta quinta-feira (20), em Itaboraí, para acertar os detalhes finais do ato "Juntos Pelo Comperj - Refinaria Já", que acontecerá na próxima segunda-feira (24), no Centro do Rio.

A manifestação pela retomada das obras da refinaria do Comperj irá reunir mais de 5 mil pessoas em um abraço simbólico ao prédio da Petrobras. Ao todo, 116 ônibus sairão em comboio de 13 das 15 cidades que compõem o Conleste até a Avenida Presidente Vargas, próximo à Rua Uruguaiana, de onde seguem a pé pela Rio Branco até o edifício sede da companhia, na Av. Chile.

O Conleste está em contato com as autoridades estaduais e federais para que a ação no dia 24 ocorra com toda a segurança e sem maiores transtornos. Polícia Rodoviária Federal (PRF), Corpo de Bombeiros, Cet Rio, Agência Nacional dos Transportes Terrestres, Polícia Militar, Prefeitura do Rio, Secretaria Estadual de Transportes e as concessionárias Autopista Fluminense, Ecoponte e CCR Barcas já foram informados do evento.

"Este é um ato apartidário, realizado pela sociedade civil, por meio do Conleste. Nossa intenção não é a de criticar qualquer governo ou partido político. A ação é em favor do estado do Rio, que sofre com a crise econômica, agravada, em nossa região, especialmente pela paralisação da construção da refinaria do Comperj", disse o prefeito de Itaboraí, Helil Cardozo, lembrando que falta muito pouco, cerca de 18%, para a conclusão da refinaria.

Para os prefeitos, embora o prometido Comperj já tenha sido descartado dos planos da Petrobras até 2019, a refinaria - praticamente pronta - ajudaria na recuperação das cidades do entorno, que sofrem com a perda de arrecadação, e ajudaria na retomada do crescimento. "A obra está 82% concluída. É hora de nos unirmos para que ela fique pronta", enfatizou Helil, que está percorrendo as cidades, sindicatos, conselhos e entidades de classe em busca de adesão.

Segundo ele, esta é uma manifestação pela empregabilidade do estado. "Por isso, estamos mobilizando todas as empresas, instituições e prefeitos para estarem juntos nesse movimento que tem impacto direto na economia dos municípios. O ato de segunda-feira está recebendo cada vez mais adeptos, e não será surpresa se houver cerca de 10 mil pessoas no dia”, avaliou.

Reunião na Petrobras

Durante o encontro, o presidente do Conleste também falou aos prefeitos sobre a reunião ocorrida na véspera com o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, da qual também participaram a prefeita de Rio Bonito, Solange Almeida, e o prefeito de Nova Friburgo, Rogério Cabral. Helil lembrou que, apesar das cobranças feitas pelos prefeitos, Bendine ainda não estabeleceu um prazo para a retomada das obras da refinaria.

Estiveram presentes à reunião os prefeitos Rodrigo Neves (Niterói), Solange Almeida (Rio Bonito), Francine Motta (Saquarema), Cica Machado (Cachoeiras de Macacu), Marco Aurélio Dias (Guapimirim), e Válber de Carvalho (Tanguá). Silva Jardim foi representada pelo vice-prefeito, Sebastião Rocha. São Gonçalo, Magé e Araruama também enviaram representantes. Também já declararam apoio oficial ao ato os municípios de Teresópolis e Nova Friburgo.

Também já aderiram ao ato o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-RJ), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Rotary Club de Itaboraí e três sindicatos da região: o Sintramon, que representa os trabalhadores do Comperj; o Sinticom, representante dos operários da construção civil, e o Mmeni, formado por metalúrgicos de Niterói e Itaboraí. As Câmaras de Dirigentes Lojistas (CDLs) de Itaboraí e Niterói também dão apoio.

Fonte: Prefeitura de Itaboraí

Últimas de _legado_O Dia no Estado