Cavalos que valem ouro: Visitantes deixam quase R$ 3 milhões em Sapucaia

Com único centro hípico do país, Sapucaia atrai criadores de animais de raça vendidos por R$ 200 mil cada. Cidade agora quer atrair delegações de hipismo na Rio 2016

Por O Dia

Rio - Jaquetas de couro, cintos afivelados e chapéus rodados compõem a vestimenta. A música country — nacional e internacional — dá o tom do que parece ser uma imersão na Festa do Peão Boiadeiro de Barretos, em São Paulo. Que nada! Estamos na cidade de Sapucaia, no Centro-Sul Fluminense, onde cresce o mais novo pólo de criação equina e de festas sertanejas do Brasil.

É por lá, no maior Centro Hípico do país, construído a pouco mais de 150 quilômetros do Rio, que milhares de turistas têm aportado semanalmente, em busca de novidades agropecuárias, provas esportivas e leilões de animais, deixando R$ 3 milhões, em média, para a economia da cidade.

O prefeito de Sapucaia%2C Anderson Zanon na arena do Centro Hípico de Sapucaia Alexandre Brum / Agência O Dia

No universo em que cowboys e empresários andam lado a lado, as cifras são sempre superlativas. Ainda mais se levados em consideração os 22 mil habitantes do município, habituados a ter a agricultura de pequeno porte e os serviços gerados em torno das BRs 116 e 393 como suas principais fontes de renda.

Hoje, 5% da população local já conseguem viver em torno da paixão por cavalos, ainda distante da realidade da maioria dos cariocas. A consolidação de Sapucaia no calendário do setor se deu na última semana, ao sediar a 22ª Exposição Nacional de Cavalos Pampa, depois de vencer a disputa com outros pólos brasileiros pela festa. A Enapmampa termina hoje.

Não é para menos: a raça — notabilizada pelo padrão tricolor de pelagem e de origem tupiniquim — é tida como a mais rentável da atualidade entre criadores e, obviamente, fez da pequena cidade alvo de peregrinação nos últimos dias. Ao final, 4 mil pessoas devem ter passado por lá, para ver alguns dos 500 mais bem avaliados exemplares da raça no Brasil. “A proximidade com o Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais conta geograficamente a nosso favor. Cada evento tem proporcionado até 300 postos de trabalho, diretos e indiretos”, se orgulhava o prefeito da cidade, Anderson Zanon.

Ao lado de Valfran Guerra%2C da ABCCPampa%2C Carlos Castro(D)%2C dono do Centro Hípico%2C espera para setembro criadores de MangalargaAlexandre Brum / Agência O Dia

De olho nos Jogos Olímpicos, a cidade já negocia abrigar duas delegações europeias e seus cavalos. Como trunfo, o Centro Hípico de Sapucaia, construído há cinco anos, surge como local ideal para treinamentos de alta performance e cuidado com os animais, as estrelas da festa.

“Os lazeres hípicos são cultuados mundo afora. Faltava um polo no Rio”, afirmava o dono da estrutura, Carlos Castro, enquanto assistia a apresentações esportivas e competições de cavalos Pampa, que levantavam a plateia. O ponto alto, no entanto, ainda estava por vir. É durante os leilões que os investidores mostram a que vieram, com valores que parecem ter o céu como limite.

Ficha técnica: Cavalo Pampa
Altura: de 1,45m para os machos e de 1,40m para as fêmeas;
Cabeça: de tamanho médio, harmoniosa, fronte ampla e plana e com o maxilar inferior afastado;
Pescoço: leve, oblíquo, proporcional e de boa musculatura;
Tronco: peito amplo, profundo, bem musculado e não saliente;
Membros: longos e amplos, canelas retas e cascos resistentes;
Curiosidade: conq uisto u fama mundial ao desempenhar seu papel de “bandido” nos filmes americanos de faroeste.

Últimas de _legado_O Dia no Estado