Por rosayne.macedo

São Gonçalo (RJ) - Um dos maiores ícones da história da TV brasileira revive em São Gonçalo. A cidade da Região Metropolitana do Rio recebe até o dia 30 de setembro a exposição ‘Chacrinha: o eterno Velho Guerreiro’. A mostra, gratuita, faz uma homenagem a Abelardo Barbosa, contando um pouco da sua história por meio de fotografias e objetos pessoais, na sala de multimeios do Centro Cultural Joaquim Lavoura (Lavourão), no bairro Estrela do Norte. 

O filho de Chacrinha, empresário Leleco Barbosa, e o prefeito da cidade, Nelson Mulin, participaram nesta segunda-feira (1º), da inauguração da mostra, que marca também a abertura das celebrações ao aniversário da emancipação político-administrativa de São Gonçalo, em 22 de setembro.

Para Ana Carla dos Santos, de 42 anos, moradora de Tribobó, a exposição é uma oportunidade para relembrar o passado e mostrar aos mais jovens quem foi Chacrinha, considerado um dos maiores comunicadores da televisão brasileira.

“Eu adorava o programa do Chacrinha, não perdia um. Ele era incrível! Essa homenagem é muito justa, é uma oportunidade de matar um pouquinho da saudade que tenho do programa do Chacrinha. Vou levar meus filhos também. Eles sempre tiveram curiosidade de conhecer mais sobre o Velho Guerreiro”, disse, entusiasmada, Ana Carla.

Para o secretário de Turismo e Cultura de São Gonçalo, Michel Portugal, trazer a exposição para a cidade é uma honra. “É maravilhoso proporcionar aos gonçalenses esta oportunidade de reavivar a memória de Abelardo Barbosa, que foi um grande mestre da comunicação. O Chacrinha se tornou um mito, foi adotado pelo folclore nacional, se tornou música, tese de mestrado, de doutorado. Ganhou reconhecimento como o pai do tropicalismo e deixou nossa televisão muito mais alegre com seu programa”, ressaltou.

José Abelardo Barbosa de Medeiros, o Chacrinha, nasceu em 30 de setembro de 1917, em Surubim, Pernambuco. Foi um dos apresentadores de televisão de maior sucesso entre 1950 e 1980. Ganhou o apelido de Velho Guerreiro na década de 1970, forma carinhosa pela qual Gilberto Gil se referiu a Chacrinha em sua música “Aquele Abraço".

* Reportagem com a colaboração de estudantes do projeto O Dia/Unigranrio.

Você pode gostar