Prefeito de São João da Barra reduz salários e contratos

Projeto que será votado nesta quinta-feira na Câmara. Críticas surgem após novas nomeações no município

Por O Dia

Novas nomeações saíram no Diário Oficial. Prefeitura nega denúncia.Reprodução/Diário Oficial

São João da Barra (RJ) - Após o prefeito José Amaro Martins de Souza, Neco, anunciar redução de 30% nos valores de contratos de empresas e 10% no próprio salário, do vice-prefeito, cargos comissionados e funções gratificadas na semana passada; nomeações de novos cargos comissionados foram anunciados nesta segunda-feira no Diário Oficial do município.

O prefeito sofre críticas sobre um possível mascaramento das contas que, ao contrário do que foi divulgado, não diminuiria os valores gastos, já que transfere de nível alguns funcionários, aumentando o seu salário conforme o novo cargo.Há casos de mudança de valores de funções gratificadas, que passam de R$ 1,26 mil (FG1) para R$ 1,9 mil (FG2), ou de cargos comissionados (CC2) cujo salário é de R$ 3,7 mil.

O prefeito, porém, nega a informação: "Isso é uma denúncia falsa. Eu tenho que conter as despesas, como os cortes não vão interferir nos gastos finais? Se eu estivesse mexendo na estrutura administrativa até teria como mentir. Mas, de qualquer forma, esse não é o meu perfil. É uma denúncia sem fundo de verdade", argumenta.

Segundo dados divulgados pela prefeitura da cidade, as medidas devem gerar economia de R$ 5 milhões por mês. Em 2015, o município esperava arrecadar R$ 347 milhões em receitas vindas dos rotalties do petróleo. Porém, com a crise, o valor arrecadado chegou apenas a R$ 176 milhões, uma perda de R$ 171 milhões. O projeto será votado nesta quinta-feira (21), na Câmara de Veradores.


Reportagem da estagiária Rita Costa


Últimas de _legado_O Dia no Estado