Thomas Weber: Em respeito ao espírito olímpico

Como apresentar ao Planeta uma disputa de vela com atletas que se dedicam de corpo e alma ao esporte em águas com esse grau de poluição?

Por O Dia

Rio - A América do Sul vai sediar sua primeira Olimpíada em 2016, no Rio. As oportunidades são de efetivo desenvolvimento interno e ampla visibilidade externa. Mas há um revés no caminho. As águas da Baía de Guanabara não foram despoluídas em 80%, conforme as metas preestabelecidas. O governo do estado admitiu ter falhado. O prefeito Eduardo Paes, o primeiro a apontar publicamente o ‘desperdício da oportunidade de o estado sanear as águas’, reiterou que o problema persiste. A Associated Press divulgou estudo com níveis perigosamente altos de vírus e bactérias de esgoto humano nos locais de competições.

Como apresentar ao Planeta uma disputa de vela com atletas que se dedicam de corpo e alma ao esporte em águas com esse grau de poluição? Búzios respondeu proativamente e candidatou-se como opção de sede do evento olímpico de vela. A cidade tem raias consideradas as melhores do mundo. São águas limpas e já usadas para treinos de velejadores medalhas de ouro do Brasil. É o local que mais recebe eventos nacionais e internacionais de vela no país, tendo sido declarada a ‘Capital da Vela’ por lei estadual. Fica a apenas 160 km da capital, dispõe de área de 450 metros quadrados em frente à marina, ideal para instalações temporárias necessárias. A infraestrutura sustenta perfeitamente um evento olímpico, oferecendo extensas redes hoteleira e de restaurantes, ambas habituadas ao trato internacional.

Não seria a primeira vez que provas de vela ocorreriam fora do centro dos Jogos. Isso ocorreu em Pequim e em Londres. Em 2016, alguns jogos de futebol serão fora do Rio — em São Paulo, Manaus, Salvador, Belo Horizonte e Brasília.

Diferentemente de interpretações mais imediatistas e rudimentares, Búzios não se insurge contra o Rio. A cidade é parte do estado e — lembre-se — somente se apresentou quando as autoridades admitiram que não cumpririam a meta de despoluição da Baía. A nossa Saint-Tropez, porém, pode oferecer as melhores condições ao espetáculo. Em respeito ao espírito olímpico, que deve privilegiar seus principais atores, os atletas, e ao bom senso, fica a pergunta: por que não Búzios?

Thomas Weber é vice-pres. do Búzios Conv. &Visitors Bureau


Últimas de Opinião