Cristiane Freitas: A energia escondida de sua casa

Somos uma pátria de chuveiros elétricos, algo caro se comparado à alternativa de aquecimento de água com uso de gases combustíveis

Por O Dia

RIo - Todos os dias ouvimos alertas em casa ou no escritório para economizar energia. É desligar a lâmpada desnecessária e trocar todas por fluorescentes ou economizar o uso do ar-condicionado. Esses dias eu ouvi uma expressão curiosa: “energia escondida”. Trata-se da energia que está na nossa frente, mas não a enxergamos e, por essa razão, somos tentados de forma permanente a desperdiçá-la.

Precisamos racionalizar o uso da energia para economizar na conta no fim do mês e para poupar os recursos que vêm da natureza. Desperdício é coisa do passado, algo reprovável na busca de um crescimento sustentável. A energia é fonte importante de bem-estar e sinal de um desenvolvimento pautado no respeito à natureza.

Energia escondida é aquela que está ao nosso alcance para ser usada sem perda de comodidade ou de conforto e sempre de forma racional, o que leva à importante eficiência energética.O termo eficiência energética parece ultrapassado, mas precisamos estar mais atentos àquelas etiquetas que vêm coladas nos equipamentos que compramos.

A sua casa pode e deve ter etiqueta de eficiência energética, a exemplo daquela que consta de um aparelho de ar-condicionado, de um liquidificador ou de um prédio inteiro. Não é ainda obrigatório, mas em breve os edifícios e residências deverão apresentar suas etiquetas de eficiência. Não é uma cilada da burocracia, mas algo factível de ser auditado.

Em novembro de 2015, acompanhamos a certificação do Edifício Essence, em Niterói. O empreendimento obteve categoria B e alcançou este nível por ter conseguido categoria A em aquecimento de água. Somos uma pátria de chuveiros elétricos, algo caro se comparado à alternativa de aquecimento de água com uso de gases combustíveis no imóvel.

Se você vai comprar um imóvel, ou reformá-lo, não deixe de buscar a etiqueta de eficiência, e saber como é o aquecimento de água. Exija o GLP em sua residência.


Cristiane Freitas é gerente de comunicação e marketing do Sindigás

Últimas de Opinião