Editorial: O caminho para asfixiar o terror

A tentativa de cessar-fogo pode ser o primeiro passo para pôr alguma ordem naqueles territórios

Por O Dia

Rio - O relatório encomendado pela União Europeia sobre a cadeia de produção do Estado Islâmico, que O DIA mostra hoje, é parte fundamental para entender, localizar e paralisar as engrenagens fatais do grupo extremista. Empresa do Brasil é citada, mas tudo leva a crer que está no texto como Pilatos entrou no Credo. O mesmo não pode ser dito da Turquia, onde 13 companhias ‘contribuem’ com os planos de atentados dos jihadistas.

Forças do Estado Islâmico no Iraque e na Síria são autossustentáveis em aquisição de armas e bens estratégicos em nível local e com muita facilidade, ressalta o relatório. Por mais que a Turquia reforce a vigilância na fronteira, materiais estão chegando aos terroristas.

É mais uma prova da terra de ninguém que se tornou boa parte da Síria e do Iraque. A tentativa de cessar-fogo pode ser o primeiro passo para pôr alguma ordem naqueles territórios. Asfixiar a linha de produção e sobretudo as fontes de financiamento ainda é a melhor arma contra a intolerância e o medo.

Últimas de Opinião