Frei Betto: A importância do humanismo

Uma verdadeira formação humanista supõe encarnar valores como solidariedade, cooperação, luta por justiça, defesa da dignidade de todos os seres humanos e preservação ambiental

Por O Dia

Rio - Em agosto de 1945, duas cidades japonesas foram varridas do mapa: Hiroshima e Nagasaki. Mais de 200 mil pessoas perderam a vida atingidas pelas bombas atômicas lançadas por aviões estadunidenses.

Por detrás das bombas estavam homens graduados nas melhores universidades do mundo. Robert Oppenheimer, que chefiou o Projeto Manhattan, do qual resultaram os artefatos mortíferos, era físico teórico formado por Harvard, em 1925. Edward Teller, colega de Oppenheimer no Projeto Manhattan, nascido na Hungria, graduou-se em Engenharia Química na Alemanha. Canalizou sua inteligência para inventar a bomba de hidrogênio, 750 vezes mais potente que a de Hiroshima.

Se Oppenheimer tivesse recebido uma formação humanista baseada em valores morais, teria chefiado o Projeto Manhattan? Se Teller tivesse recebido uma formação humanista fundada na ética, teria criado a bomba de hidrogênio? E os presidentes Roosevelt e Truman teriam autorizado o Projeto Manhattan e o genocídio nuclear no Japão?

Uma verdadeira formação humanista supõe encarnar valores como solidariedade, cooperação, luta por justiça, defesa da dignidade de todos os seres humanos e preservação ambiental. Dentro de uma universidade, a diversidade de disciplinas segue o mesmo objetivo de constituir uma instituição voltada a formar mão de obra qualificada para o mercado, e raramente profissionais em condições de responder às demandas da população.

A universidade precisa sempre se submeter à autocrítica. Perguntar-se se é uma ilha do saber indiferente às reais necessidades do país ou se constitui uma usina capaz de dotar a nação de ferramentas teóricas e práticas para solucionar os problemas que a afetam.
Os EUA se espelharam no modelo alemão, pois necessitavam de profissionais qualificados para expandir seu parque industrial. O princípio estratégico pedagógico é fortalecer o mercado e a apropriação privada da riqueza.

O caráter desse projeto pedagógico das universidades dos Estados Unidos se encontra bem definido nesta reflexão de Marx e Engels: todos os complexos e variados laços que prendiam o homem feudal a seus ‘superiores naturais’, a burguesia os despedaçou sem piedade, para só deixar subsistir o laço frio do interesse. Fez da dignidade pessoal um simples valor de troca. Substituiu as numerosas liberdades, conquistadas com esforço, pela única e implacável liberdade de comércio.

Frei Betto é autor de ‘Felicidade foi-se embora’, em parceria com Leonardo Boff e Mário Sérgio Cortella (Vozes)

Últimas de Opinião