Raul Milliet Fº: Por que o futebol é o esporte mais popular

Que outro esporte coletivo permite uma equipe claramente inferior fazer 1 a 0, se trancar na defesa e ganhar o jogo?

Por O Dia

Rio - O futebol é exemplo claro da dinâmica de troca entre o erudito e o popular, intercâmbio de experiências entre as elites e as classes trabalhadoras, dentro da visão lapidada pelo filósofo Antonio Gramsci.

Regrado em escolas inglesas na segunda metade do século 19, o futebol tem origem nos jogos populares, modificados até assumir outro significado. Sendo praticado com os pés, aumenta seu grau de imprecisão, ampliando a necessidade de maestria e os solos individuais, abrindo caminho para surpresas e acasos. O maior sentido de conjunto e a contrapartida do uso impreciso dos pés, com movimentos corporais em ritmos descompassados, tornam o fator surpresa o ponto central do esporte. Além do fato de que jogadores baixos e franzinos podem ser craques (hoje em oito posições, excetuando o goleiro e os dois zagueiros de área), ao contrário de outros esportes coletivos como basquete, vôlei e beisebol, o elenco de surpresas do futebol e sua aproximação com o talento, magia e técnica não param por aí, identificando a torcida com a intimidade proporcionada por um jogo cuja chave do segredo encontra-se no bolso de qualquer espectador medianamente informado.

As regras favorecem o talento, num conjunto de fatores interligados: a simplicidade que requer a sua prática, do campo ao material esportivo, e um aspecto que é um autêntico mistério sem palavras: que esporte coletivo permite uma equipe claramente inferior fazer 1 a 0, se trancar na defesa e ganhar o jogo? Nenhum. Nenhum outro. Isto pode ser explicado por uma de suas grandes máximas: os pés e a zebra são os grandes segredos do futebol.

A International Board, entidade restrita a quatro ou cinco membros, criada em 1883 para uniformizar as regras do futebol entre Inglaterra, Escócia, Irlanda e Gales, até hoje decide, com a Fifa, qualquer mudança nas normas. Não pensem que a aceitação de qualquer mudança é fácil. Os membros da International Board, com a sabedoria dos grandes mestres, ciosos da quase perfeição da criação que tanto tem de sua, só aceitam mudar suas regras de tempos em tempos. Este é outro dos grandes segredos responsáveis pela popularidade do futebol: regras definidas, só desconhecidas por quem não é culturalmente aquinhoado para apreciar esta que, segundo o historiador Eric Hobsbawm, é a “religião leiga dos trabalhadores”.

Raul Milliet Fº  é doutor em História Social pela USP

Últimas de Opinião