Editorial: O drama dos rios em dias de chuva

A limpeza dos rios não pode mais ser um jogo de empurra nem considerada ação supérflua

Por O Dia

Rio - São Gonçalo sofreu esta semana com problema tão antigo quanto os bolsões d’água nas ruas: a inundação que advém dos rios. Em todo o estado, cursos hídricos são fonte de preocupação para a população ribeirinha, que não tem alternativa a não ser rezar para a casa não ruir.

Está sendo assim em São Gonçalo desde quarta-feira. Ainda nesta quinta-feira vários bairros continuavam parcialmente inundados. Muitos moradores perderam tudo e não têm para onde ir.

Rios são lixões onde se joga de tudo e cujo assoreamento dá pouca ou nenhuma margem quando cai um dilúvio. Se a chuva forte coincidir com a maré alta, os estragos são ainda maiores.

A limpeza dos rios não pode mais ser um jogo de empurra nem considerada ação supérflua. Dragagem é fundamental para evitar prejuízos maiores e principalmente mortes. Mas de nada isso adiantará se a população continuar fazendo dos cursos d’água uma latrina ou uma lata de lixo. Atraso que não condiz com este século.


Últimas de Opinião