Ruy Chaves: Os treze trabalhos de Hércules

São bichos-homens engravatados, seres das trevas, serpentes e dragões mais perigosos que o Leão e a Hidra

Por O Dia

Rio - Meu amigo Hércules, herói grego, enfeitiçado pela deusa Hera, enlouqueceu e matou a mulher e os filhos. Depois, para recuperar a honra, recebeu do oráculo de Delfos a missão de realizar 12 trabalhos impossíveis aos homens.

A maior epopeia do Universo começou com o Leão da Nemeia, monstro que comia todo mundo. Nenhuma arma era capaz de matá-lo, sua pele era impenetrável a não ser por suas próprias garras. Então Hércules o estrangulou, tirou suas garras e cortou belo casaco. A Hidra de Lerna, serpente-dragão com nove cabeças que regeneravam quando cortadas, matava com seu bafo, mas Hércules, ao cortar cada cabeça, queimou suas feridas. A Corça de Cerineia, de chifres de ouro e pés de bronze, que corria mais que o vento e nunca se cansava, não foi páreo para o herói, que a perseguiu por um ano até capturá-la e levá-la nos ombros ao Reino de Eristeu.

Capturar vivo o Javali de Erimanto, que devastava plantações, foi tarefa simples, assim como limpar os estábulos do rei Áugias, que acumulavam 30 anos de fezes e urina de três mil bois: nenhuma dificuldade para desviar dois rios. Os trabalhos voltaram a esquentar e Hércules matou aves gigantescas com cabeças, asas e bicos de ferro, que interceptavam a luz do Sol, e em seguida humilhou o aterrorizante Touro de Creta ao montá-lo e levá-lo vivo a Euristeu. Depois, foi a vez de Diomedes, morto por seus próprios cavalos, que cuspiam fogo e que comiam estrangeiros.

A saga continuou. Hércules venceu as Amazonas e matou o gigante Gerião, que tinha três corpos, seis braços e seis asas, e tomou seu rebanho guardado por dragão de sete cabeças. Sustentando o céu nos ombros, após a morte do dragão de 100 cabeças, Hércules colheu os pomos de ouro do Jardim das Hespérides e finalizou os trabalhos trazendo vivo, do mundo dos mortos, o guardião, o Cão Cérbero.

Hércules, socorro! O Brasil precisa de você! São tempos de terror, monstros comendo gente, cuspindo fogo, muitos estábulos por limpar! São bichos-homens engravatados, seres das trevas, serpentes e dragões mais perigosos que o Leão e a Hidra, cabeças de Cavalo e de Touro em corpos de gente, que correm como a Corça, devastam como o Javali e que se apossaram até do Sol. Ajude-nos no maior desafio de sua vida:

Lava Jato neles! Panta rei.


Ruy Chaves é diretor da Estácio e da Academia do Concurso

Últimas de Opinião