Editorial: Quando Suas Excelências pagam mico

Que as lembranças do circo de domingo resistam por muitas eleições até que outro tipo de gente seja escolhido

Por O Dia

Rio - Os cidadãos que coloriram as ruas no longo domingo para torcer pelo país deram aula de civismo. Em vez dos confrontos que muitos temiam, o que levou a reforços do policiamento, multidões impuseram bela lição aos senhores deputados, protagonistas do teatro de horrores que, para a vergonha nacional, o mundo viu pela TV.

Consagrada revista alemã enxergou uma “insurreição dos hipócritas”. Outro veículo acertou que “mais parecia um carnaval”. Ninguém merecia testemunhar, naquele momento solene, tantas grotescas dedicatórias a filhos, mães, avós, netos, maridos e religiões. O vexame, infelizmente, não se resumiu ao provincianismo. Houve elogio a torturador, cusparada, xingamento, gritos típicos de torcida organizada, gestos obscenos e por aí vai.

O bom comportamento das ruas não foi a última oportunidade dos eleitores para enquadrar os eleitos. Haverá muitas outras, nas urnas. Que as lembranças do circo de domingo resistam por muitas eleições até que outro tipo de gente seja escolhido. 

Últimas de Opinião