Tiago Mohamed: Nada vira fumaça

O descarte incorreto de bitucas causa sérios problemas à saúde das pessoas e ao meio ambiente

Por O Dia

Rio - Durante anos o lixo gerado por bitucas de cigarro foi considerado algo secundário, um lixo “pequeno” e sem grande impacto para a coleta de resíduos. Mas essa sujeira não pode mais ser varrida para debaixo do tapete. Segundo o IBGE, cerca 30 milhões de brasileiros são fumantes. No Estado do Rio, mais de 2 milhões de pessoas fumam em média 20 cigarros por dia. Mas onde vão parar todas essas bitucas? 

Uma bituca contém mais de 4 mil substâncias tóxicas e demora cerca de 5 anos para se decompor. Durante este período, pode prejudicar o solo e lençóis freáticos devido às substâncias tóxicas. Esses resíduos, quando coletados pelos serviços de limpeza urbana, vão parar em aterros e lixões. Se não são coletados, geralmente seguem para o sistema de esgotamento sanitário e vão poluir lagoas e rios.

O poder público tem meios de coibir essa prática danosa. No município do Rio, o Programa Lixo Zero é um bom exemplo de combate a esse círculo vicioso. De acordo com a Comlurb, somente este ano já foram aplicadas três mil multas pelo Programa por conta do descarte irregular de guimbas nas ruas da cidade.

Porém, mais do que punir, precisamos pensar em formas de conscientização e, principalmente, em todo potencial de reaproveitamento que este material pode oferecer. A notícia boa é que, assim como a maior parte do lixo que produzimos, as bitucas também podem ser recicladas. Através da reciclagem, é possível criar produtos como a massa para hidrossemeadura (processo que reveste encostas sem vegetação), papel e até mesmo adubo. E as bitucas têm 100% de reaproveitamento. Na Assembleia Legislativa, tramita um projeto de minha autoria que propõe a criação de um programa de reciclagem em que a indústria produtora, distribuidores e comerciantes de tabaco tenham recipientes em locais de grande circulação para depósito deste material.

O descarte incorreto de bitucas causa sérios problemas à saúde das pessoas e ao meio ambiente. Mas já é possível criar soluções para a destinação final desses resíduos. Nossas atitudes têm o poder de mudar o meio ambiente e contribuir para dar mais vida ao planeta. Por isso, lembre-se que bituca também é lixo, e deve ser descartada no local correto: o lixo e, de preferência, o reciclável.

Tiago Mohamed é deputado estadual pelo PMDB-RJ

Últimas de Opinião