Célia Domingues: Talento do Carnaval que vale mais que ouro

Soubemos aproveitar a oportunidade aberta pelos Jogos para gerar emprego e renda

Por O Dia

Rio - O Rio de Janeiro se despede hoje de um ciclo inesquecível. Agosto e setembro ficarão na memória dos que viveram ou acompanharam, de perto ou a distância, a Olimpíada e a Paralimpíada de 2016: seja pelas glórias esportivas, seja pelas lindas e brasileiríssimas cerimônias de abertura e encerramento, ou ainda pela festa das ruas. Para um contingente de trabalhadores, empreendedores e artistas ligados ao Carnaval da cidade, o período, em especial, foi de ‘ouro’.

Soubemos aproveitar a oportunidade aberta pelos Jogos para gerar emprego e renda. E mais: elevamos, com orgulho, o estandarte do profissionalismo que vem, ano a ano, pautando cada vez mais o Carnaval. Da genialidade da professora Rosa Magalhães, idealizadora da cerimônia de encerramento da Olimpíada, ao trabalho das costureiras, aderecistas, peruqueiros, chapeleiros, pintores artísticos, ferreiros, carpinteiros. Todas, sem exceção, contribuições valiosas ao sucesso dos Jogos.

Foi na Cidade do Samba, na revitalizada Zona Portuária, que cerca de três mil voluntários tiveram seus uniformes ajustados por costureiras veteranas nos barracões de nossa escolas, como Glória e Diná, ambas na casa dos 60 anos, mas com suas aptidões valorizadas no processo produtivo includente do Carnaval. No ateliê montado no Barracão da São Clemente e posteriormente transferido para o Maracanã, outros profissionais dedicados executaram 1.800 figurinos para a cerimônia de encerramento das Olimpíadas e cerca de 2.500 elementos para a solenidade da abertura da Paralimpíada.

Ao todo, foram 220 trabalhadores com ocupação e sustento garantido nos últimos meses, sem falar na movimentação do comércio com a compra de insumos. Mas tudo isso só foi possível por conta de duas ações fundamentais: a busca por negócios e parcerias e a qualificação da mão de obra. E é isso que move a Associação de Mulheres Empreendedoras do Brasil (Amebras). Acreditamos no potencial econômico e de geração de emprego e renda do Carnaval e de seus profissionais não apenas na festa, mas durante todo o ano. Nosso trabalho nos Jogos reafirmaram uma certeza: estamos no caminho certo. E o mundo inteiro pôde conferir.

Célia Domingues é Pres. da Assoc. de Mulheres Empr. do Brasil

Últimas de Opinião