Fernando Scarpa: Democracia à moda da casa

Políticos não entenderam ainda o poder da voz das ruas, são novos tempos

Por O Dia

Rio - A nação não deve ser poupada da instabilidade com a ‘lendária’ prisão do Lula. Ao contrário: é o desrespeito à lei que desestabiliza o país e nos expõe a um profundo sentimento de injustiça e contrariedade cotidiana. Afinal, parte da sociedade fica imune à lei. A ‘República de Curitiba’ luta para trabalhar livre como deve ser; já o STF, exceto algumas bolas dentro, poupa políticos. Renan Calheiros, armado de foro privilegiado, é expressão máxima da imunidade criminal e, bem sob as vistas do ministro Toffoli, ganhou mais horas de voo.

A prisão de Eduardo Cunha prometia ser bombástica, mas, passado o ocorrido, a vida continua, não é mesmo? Detido, ele aguarda a esposa, que arrisca ter o mesmo destino. Quando Marcelo Odebrecht foi preso, seu papai ameaçava a queda da república. Não caiu, cai agora. Embora de pé, é escorada por frágeis andaimes. Cabral não se sustentou, Garotinho dançou, esbravejou, o Rio comemorou! A lei faz bem!

Os patrões Senado e STF não sacam o esgotamento do povo. Na rua e nas redes, o clima é de pré-revolução francesa. O PT se aparelhou ao longo dos anos; um partido com maioria de ministros indicados na Suprema Corte que brigam em público. “Não retiro!”, disse Gilmar! É constrangedor julgar padrinho a quem se deve o poder.

O presidente Temer e políticos de todos os tempos enriqueceram no mandato. A corrupção não é uma jovem linda como nossa primeira-dama. É uma velha senhora feia que nos usurpa há anos, mas está com os dias contados. Os parlamentares insistem em não perceber, não querem este fim.

Não vale a pena temer. Quando se falava em impeachment, logo vinha a falácia de rasgar a Constituição e quebrar a democracia. Aqui estamos com Vana impichada, o país continua caminhando, apesar da Constituição fatiada em pleno Senado — e o constitucionalista Temer silenciou.

Políticos não entenderam ainda o poder da voz das ruas, são novos tempos. Não existe a verdade de alguém acima da lei. Teremos que reescrever um novo Código Penal para atender personalidades especiais? Já rolou ‘Constituição à Vana’. Agora, Código Penal à Lula, esses dois pratos da culinária brasileira. A Constituição já foi adaptada para Vana deixar o poder, então agora só falta o Código Penal para estabilizar o país?

Últimas de Opinião