Carlos Vilela: Crise se supera com trabalho

O caminho aponta para a boa gestão fiscal conjugada com a racionalização dos gastos; ou seja, dispor de menos recursos, sem deixar de atender às demandas da população

Por O Dia

Rio - Enfrentar a crise que se abateu sobre o país e que afetou mais gravemente o Estado do Rio é o maior desafio a ser vencido pelos novos gestores da administração pública fluminense. Não há soluções mágicas.

O caminho aponta para a boa gestão fiscal conjugada com a racionalização dos gastos; ou seja, dispor de menos recursos, sem deixar de atender às demandas da população. Em Queimados, estamos conseguindo driblar essa crise, muito em decorrência de termos herdado de Max Lemos um município com as contas em dia.

Equilíbrio que agora nos permite administrar a cidade neste início de mandato sem sobressaltos, mas conscientes de que é necessário manter a austeridade, sem evidentemente abrir mão de dar continuidade ao desenvolvimento de Queimados.

O fato de ter sido secretário de Fazenda e Planejamento do município nos últimos sete anos e meio, com participação direta na política econômica implementada e que se mostrou exitosa, dá-me experiência para gerenciar os investimentos e identificar onde precisam ser aplicados, buscando novas conquistas para a cidade.

Hoje, Queimados é um dos poucos municípios da Baixada que têm conseguido pagar ao funcionalismo público sem atraso (são 2.500 servidores, entre estatutários e comissionados). Estamos dando sequência à entrega de novos apartamentos do ‘Minha Casa, Minha Vida’, e nesta etapa são quase 600 famílias beneficiadas no condomínio Jardim da Fonte III.

Na administração passada foram entregues cerca de 3.500 moradias, no maior programa de habitação popular já visto em Queimados, e nós projetamos entregar 5.000 unidades até o fim do nosso mandato.

Costumo dizer que sozinho ninguém faz nada. Por isso, estamos buscando parcerias junto aos governos federal e estadual. Estive algumas vezes em Brasília reunido com os ministros da Saúde, do Esporte, e da Cultura; com a secretária Nacional de Habitação e a presidente do Iphan; e também com os secretários estaduais de Educação e de Saúde para tratar de temas de suma importância como a abertura da maternidade pública, a ampliação do programa de habitação popular e apoio a projetos esportivos, culturais, entre outros.

Um sábio ditado diz que momento de crise se supera com trabalho. E é isso que buscamos.

Carlos Vilela é prefeito de Queimados

Últimas de Opinião