Marcus Tavares: Corruptos na escola

Fico pensando: essas pessoas que cometem tais crimes dormem? Não têm alguma crise de consciência?

Por O Dia

Rio - O que leva tantos políticos a participar descaradamente de esquemas milionários de corrupção? Ganância, poder? A certeza da impunidade? A convicção de que estão acima da lei? Alguém saberia responder? É revoltante, para dizer o mínimo, ver indivíduos/políticos considerados até então honestos e dignos serem presos exatamente pelos delitos que tanto combatiam no dia a dia, na página do jornal, na tela da TV.

Nesta semana, foi preso o médico Sérgio Côrtes, ex-secretário de Saúde de Sérgio Cabral, suspeito de ter fraudado licitações, desviado verbas e de cobrar propina. Um indivíduo/médico/político que se dizia do lado do povo, que lutava por um sistema de saúde transparente, onde cada real seria gasto de forma consciente e responsável. Bem, se tudo vier a ser confirmado, fomos enganados mais uma vez. Quanta falácia, quanto descaramento!

A corrupção em qualquer escala é abominável. Mas desviar verbas e se favorecer com dinheiro destinado à saúde é ... desumano. Uma população inteira precisando de serviços básicos de qualidade e o dinheiro sendo usado para favorecimento particular. Hospitais sem remédio, materiais de consumo, infraestrutura. Muitas vezes, sem profissionais.

Fico pensando: essas pessoas que cometem tais crimes dormem? Não têm alguma crise de consciência? Não conseguem ter um mínimo de dignidade pela vida do outro? Não tem nenhum amigo, irmão, pai, mãe, filho, parente que, ao menos, pondere, tente provocar uma reflexão sobre o ato? Ou a família é conivente? Corrobora e usufruir de toda a roubalheira? Nunca sentiram vergonha? Adoraria ouvir os familiares. Não sabiam? Se soubessem, não compactuariam? Estão tão surpresos quanto nós. Será?

Outra coisa que me desperta a curiosidade: tais suspeitos frequentaram a escola? Qual escola? Que educação formal obtiveram nas instituições de ensino? Certamente, não foram alunos de escolas públicas (e muito menos dependeram de algum hospital público para fazer uma consulta, exame ou internação).

Provavelmente, tiveram boas chances e oportunidades. Mas com certeza devem ter aprendido, se não em casa, mas na escola, valores positivos, éticos e morais. Creio que os professores devem ter alguma lembrança. Como seria interessante ouvi-los, não? O que eles têm a dizer? A educação falhou? Está difícil de viver com tanta hipocrisia, imoralidade e corrupção. 

Marcus Tavares é professor e jornalista

Últimas de Opinião