Eduardo Portugal: Os benefícios invisíveis do exercício físico

A priori, quanto mais pessoas estiverem cientes dos diversos efeitos do exercício, maior será a frequência de praticantes

Por O Dia

Rio - Tradicionalmente, os benefícios da prática de exercícios físicos está muito vinculada a aspectos estéticos. Esta visão reduzida poderia ser melhorada com a divulgação dos demais efeitos do exercício para que a sociedade possa desfrutar do que é evidenciado pela ciência.

A priori, quanto mais pessoas estiverem cientes dos diversos efeitos do exercício, maior será a frequência de praticantes e, consequentemente, mais pessoas lucrariam com os seus efeitos.

Discutir o emagrecimento ou o aumento do volume muscula não são o objetivo deste texto, mas sim discutir outros benefícios do exercício, os “benefícios invisíveis”. O exercício pode contribuir para a nossa saúde mental? O exercício pode auxiliar o tratamento para doenças como depressão e Alzheimer?

A resposta é sim. Em um artigo publicado na revista científica Neuropsychobiology por mim e colaboradores, concluímos que o exercício pode reduzir os sintomas de doenças como a Depressão Maior e o Alzheimer. Estes benefícios parecem ser influenciados pelos efeitos neuroquímicos gerados no cérebro.

Além disso, o exercício também pode atenuar alguns efeitos do envelhecimento. De maneira mais específica, os efeitos gerados pelo exercício resistido — popularmente conhecida como musculação — podem, por exemplo, melhorar a cognição dos seus praticantes.

Muitas pessoas não conseguem aderir ao exercício e, consequentemente, não alcançam os seus benefícios. Embora não tenhamos uma receita para acabar com o sedentarismo, a busca pelo prazer durante o exercício parece um importante aliado para a manutenção do treinamento.

Intensidades baixas e moderadas de exercício parecem ser as melhores para gerar prazer durante o exercício, conforme foi encontrado por mim e colaboradores em um estudo publicado na Perceptual and Motor Skills. Além da intensidade, outras variáveis como o tipo de exercício, a duração, a música ambiente, também influenciam a resposta de prazer durante o exercício.

Para achar o melhor exercício para você, procure um profissional de Educação Física habilitado no CREF1. Ele poderá te conduzir para o melhor treinamento possível, de preferência que seja prazeroso, colocando a ciência na prática para que você alcance os benefícios invisíveis. 

Eduardo Portugal é mestre em Ciência do Esporte

Últimas de Opinião