Marcos Espínola: Brasil, mostra tua cara

O povo está órfão de representantes que visam ao bem coletivo. Sente-se traído, agredido, explorado

Por O Dia

Rio - Na semana passada, alguns fatos revelaram o estado do Brasil. As palavras do deputado Tiririca, que pela primeira vez (e, segundo ele, a última) utilizou a tribuna da Câmara dos Deputados, foram uma manifestação emblemática do cenário político brasileiro. Além disso, pesquisa do Instituto Datafolha mostrou que o atual Congresso é o mais mal visto de todos os tempos. Um retrato que se reflete em todos os cantos do país.

O palhaço Tiririca de bobo não tem nada. Com mais de um milhão de votos, elegeu-se deputado e utilizou um slogan irreverente ("Pior não fica"). Mas o pior, segundo ele, foi constatar que era possível ficar pior sim. Por isso declarou sair envergonhado e decepcionado com o Parlamento brasileiro.

E essa visão parece ser compactuada com boa parte da população. Segundo o Datafolha, apenas 5% dos entrevistados aprovam e 60% reprova o Congresso, um recorde histórico e para lá de negativo. Um desgaste da política nacional e que provoca um efeito cascata, pois o exemplo vem de cima. O povo está órfão de representantes que visam ao bem coletivo. Sente-se traído, agredido, explorado. Um misto de sentimentos de pessoas que amargam uma vida miserável, sem oportunidades e perspectivas.

Ainda na semana passada um dos maiores bandidos do Rio foi preso, o Rogério 157. Um ganho para a sociedade que vinha sendo aterrorizada com a guerra liderada por ele na Rocinha e em outros pontos da cidade. Façanha digna de comemoração. E foi isso que os policiais da operação fizeram. Registraram o momento.

Um erro para uns, algo compreensível para outros, mas vale considerar que tal atitude celebrou uma meta alcançada. Meses de trabalho até chegar à prisão do criminoso. No calor da conquista, eles fotografaram, o que acontece com vários outros profissionais ao alcançarem um objetivo.

A Corregedoria vai avaliar o caso, mas devemos considerar que até o momento já foram quase 130 policiais militares mortos em 2017. Isso significa que em mais de um terço dos dias deste ano tivemos um óbito e uma família despedaçada pela violência. Um contexto que permite melhor compreensão sobre o episódio.

Polêmicas à parte, esse é o retrato do Brasil. Seja no Congresso, seja nos estados, tudo anda muito confuso, tenso. Plagiando Tiririca, muitos de nós nos sentimos envergonhado com a falta de rumo da nossa nação.

Marcos Espínola é advogado criminalista

Últimas de Opinião