Feridos em blocos de Carnaval vão ao Ministério Público nesta quinta-feira

Durante reunião, eles discutirão sobre a repressão da Guarda Municipal e o patrocínio da prefeitura aos cortejos oficiais

Por O Dia

Jornalista Bernardo Tabak publicou%2C em seu perfil no Facebook%2C imagem mostrando hematomas deixados pela GM Reprodução Facebook

Rio - Os foliões que sofreram algum tipo de agressão durante os blocos de Carnaval se reunirão com o procurador-geral do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), Marfan Vieira, nesta quinta-feira, a partir das 14h.

Durante o encontro, eles vão discutir sobre a repressão da Guarda Municipal em cortejos não oficiais da prefeitura, como o Tecnobloco, na Praça Mauá, onde os agentes jogaram bombas de lacrimogêneo e sprays de pimenta contra os participantes.

No debate, estarão presentes o jornalista Bernardo Tabak, que foi agredido nas nádegas, coxas e pernas; os foliões João Gila e Karine Tavares, além do presidente da Desliga dos Blocos, organização que reúne blocos não oficiais, Luís Otávio. Eles também querem discutir sobre os patrocínios do Carnaval de Rua e sobre as detenções realizadas pela guarda.

LEIA MAIS: Jornalista mostra hematomas deixados pela GM em bloco de Carnaval

LEIA MAIS: Guardas que participaram de truculência em bloco na Praça Mauá são afastados

Últimas de Rio De Janeiro