PF faz buscas em empresas do Rio

Jonas Suassuna é um dos proprietários do sítio em Atibaia, frequentado pelo ex-presidente Lula

Por O Dia

Rio - A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços de empresas no Rio nas quais Jonas Suassuna participa do quadro social, na 24ª fase da Lava Jato. De acordo com o Ministério Público Federal, o empresário seria ‘pessoa interposta’, ou seja, alguém que assina um contrato para ocultar o nome do verdadeiro dono.

Suassuna é um dos proprietários do sítio em Atibaia, frequentado pelo ex-presidente Lula, que seria seu real dono. Ainda segundo a acusação, a empreiteira OAS gastou R$ 170 mil para reformar a cozinha do sítio.

No total, o empresário aparece no quadro administrativo de 11 empresas localizadas na Barra da Tijuca, Centro, Copacabana, e no município de Rio Bonito (na Região Metropolitana). Nesses locais, agentes apreenderam documentos e computadores que foram enviados por malote à Curitiba, no Paraná.

Suassuna também coadministra com Fábio Luís, filho de Lula, conhecido como Lulinha, a empresa BR4 Participações Ltda.

O sítio em Atibaia, atribuído ao presidente Lula, é formado por duas propriedades contíguas. Uma das unidades está no nome de Suassuna. A outra tem como dono formal o empresário Fernando Bittar.

Bittar, cujas empresas também foram alvo de busca e apreensão, é sócio de Lulinha na G4 Entretenimento, que recebeu cerca de R$ 1 milhão do Instituto Lula. A PF ainda apura se serviços foram prestados por esse pagamento.

A reportagem do DIA rocurou os empresários citados, mas não conseguiu contato.

Últimas de Rio De Janeiro