Por bianca.lobianco

Rio - Uma mulher foi morta a facadas em Curicica, Zona Oeste da cidade, na madrugada de ontem. Um dos suspeitos é o marido, Luiz Fernando Viana da Silva, de 30 anos, que teria desferido três golpes contra Danielle Oliveira, de 23, próximo a um centro comercial na Estrada dos Bandeirantes.

Danielle Oliveira estava separada do marido após descobrir traiçãoReprodução Internet

Familiares relatam que a atendente do Bob’s vinha sendo ameaçada desde segunda-feira pelo marido, que trabalha na manutenção de uma empresa de TV a cabo. “Ela não procurou a polícia nem contou a ninguém sobre as ameaças. Na segunda-feira, ele chegou a bater nela. Soubemos disso só hoje (ontem) porque um dos filhos dela, o de oito anos, contou para a avó”, relata a autônoma Vânia Cristina, 32, prima da vítima.

Amigos contam que o casal estava morando em casas separadas há cerca de um mês, após traição de Luiz Fernando. “Ela descobriu que ele tem um filho com outra mulher, com a mesma idade da filha caçula deles, de seis meses. O nome da filha da Danielle com o Luiz é Pietra, e o do Luiz com a amante, Pietro”, conta um amigo da família que preferiu não se identificar. Além de Pietra, outros dois filhos de Danielle, frutos de um relacionamento anterior, moravam com o casal.

De acordo com parentes, Luiz Fernando estava inconformado com o fim do relacionamento e também queria que, após a separação, Pietra morasse com ele. “O Luiz foi até a casa dela (Danielle) na terça dizendo que queria levar a criança, mas a Danielle sabia que ele ia vir e deixou a filha com uma vizinha justamente para ele não levar”, conta Vânia Cristina.

No sábado, por volta das 23h, Luiz Fernando teria arrombado a porta da casa de Danielle. Não encontrando a mulher e a filha, teria pego uma faca na cozinha e ido até um bar em que a atendente do Bob’s costumava frequentar com parentes e amigos. “Ele falou: ‘eu não disse que ia te matar?’ E deu três facadas nela: uma na barriga e outras duas na altura do peito”, conta uma testemunha que pediu para não ter o nome revelado. Danielle chegou a ser levada para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra, mas não resistiu aos ferimentos.

Até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso. A Polícia Civil disse apenas que fez a perícia no local e não deu mais informações sobre o crime para não comprometer as investigações.

Você pode gostar