Desaparecimento de estudante da UFRJ intriga familiares e polícia

Rafael Fernandes da Silva, de 22 anos, sumiu na segunda-feira, após sair de casa em Bangu para ir à aula no Fundão

Por O Dia

Rio - O desaparecimento de um jovem de 22 anos intriga a polícia e seus familiares. Agentes apuram o motivo do sumiço do estudante universitário da Universidade Federal do Rio de Janeiro (URFJ) Rafael Fernandes da Silva, que foi visto pela última vez na manhã da segunda-feira, após sair de casa em Bangu, na Zona Oeste do Rio, em direção ao Campus do Fundão, na Zona Norte.

Rafael Fernandes da Silva, de 22 anosReprodução Facebook

O pai de Rafael, o motorista Vinicius Fernandes, de 50 anos, contou que o rapaz que cursa o 5º período de Engenharia mecânica, saiu para ir à aula às 6h, no entanto, a universidade informou aos familiares que o jovem não compareceu ao local. O jovem estava com mais de R$ 2 mil para depositar no banco e um notebook na mochila. Rafael vestia camisa, bermuda bege, chinelo e não apresentou nenhum comportamento suspeito antes de deixar a casa

Segundo o pai, o perfil do universitário no Facebook foi apagado horas antes. Ainda de acordo com Vinicius Fernandes, Rafael teria feito um contato com uma amiga por mensagem de celular. Na mensagem o jovem teria dito que "Sonhei que Deus me pegava, me tirava dessa vida, e tô com uma sensação estranha, porque foi um sonho muito real. Mas tô em paz, seja o que Ele quiser”. O pai afirmou que o rapaz não tem problemas com a família e que o rapaz é muito estudioso.

Rafael Fernandes costumava sair de casa por volta das 6h, pegar o ônibus da linha 918 -- Jardim Violeta x Bonsucesso (via Bangu) -- descia em Madureira e seguia para o Fundão em um ônibus do BRT. No entanto, o pai do jovem contou que consultou os dados do cartão RioCard pela internet e verificou que o filho pegou o 393 (Bangu - Castelo). 

"Falei com o motorista na garagem do ônibus e ele disse que esse ônibus é expresso. Então, meu filho só poderia ter descido na Rodoviária ou antes da seletiva da Avenida Brasil", destacou o pai.

Parentes do jovem afirmam que ele é uma pessoa tranquila e que não tinham costumes de sair sem avisar. Além de cursar engenharia mecânica, Rafael é monitor de álgebra e trabalha no Responde Aí, um site na internet destinado a alunos que buscam ajuda nos estudos. O caso foi registrado na 37ª DP (Ilha do Governador) e logo após encaminhado para a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), na Cidade da Polícia, no Jacarezinho. Até a manhã desta quarta-feira a polícia não havia encontrado o estudante.

Estudante da Uerj também está desaparecido

Wellington Araújo, de 22 anos, aluno de Direito da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), também está desaparecido. Ele contou à família, nesta terça-feira, que iria à aula, mas depois seus pais descobriram que teria manifestação.?

A família contou ainda que ele publicou textos suspeitos na internet horas antes do desaparecimento. Segundo o irmão dele, o estudante Douglas Araújo, de 18 anos, as postagens são: "Hoje é meu último dia mesmo" e "This is goodbye (na tradução, "Isso é adeus"). Na mesma publicação, um amigo perguntou o que estava acontecendo e o universitário disse que "ninguém pode me ajudar, adeus".

Quem tiver alguma informação sobre o paradeiro dos estudantes pode entrar encontado com o Whatsapp dos Desaparecidos (99626-4393), ou para mesa de atendimento do Disque-Denúncia, pelo telefone 2253-1177.

Quem tiver informações sobre Rafael Fernandes da Silva pode entrar em contato com a família pelo telefone (21) 2404-7230 ou pelo Disque-Denúncia através do telefone (21) 2253-1177.

Reportagem do estagiário Rafael Nascimento

Últimas de Rio De Janeiro