Estudante que estava desaparecido diz à família que está em Pernambuco

Rafael Fernandes estava sumido desde segunda-feira e entrou em contato com a irmã na manhã desta quinta-feira

Por O Dia

Rafael Fernandes estava desaparecido desde segunda-feiraReprodução Facebook

Rio - O estudante de engenharia Rafael Fernandes, de 22 anos, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que estava desaparecido desde segunda-feira, entrou em contato com a família na manhã desta quinta-feira e informou que está em Pernambuco.

O pai contou a reportagem do DIA que o jovem viu a repercussão de seu sumiço e entrou em contato com a irmã pelo telefone avisando que viajou para aquele estado. Vinicius Fernandes agradeceu a divulgação na imprensa do caso e diz que está tudo bem com o filho. "Ele ligou para a irmã hoje cedo e disse que está em Pernambuco. Agora está falando com a mãe por telefone. Gostaria de agradecer a todos que fizeram corrente positiva e divulgaram fotos dele. Agradeço a Deus e vocês também por esse trabalho maravilhoso", disse o pai, emocionado. 

Relembre o caso

O desaparecimento de Rafael Fernandes, de 22 anos, intrigou a polícia e seus familiares. Agentes apuravam o motivo do sumiço do estudante universitário da Universidade Federal do Rio de Janeiro (URFJ), que foi visto pela última vez na manhã da segunda-feira, após sair de casa em Bangu, na Zona Oeste do Rio, em direção ao Campus do Fundão, na Zona Norte.

O pai de Rafael, o motorista Vinicius Fernandes, de 50 anos, contou que o rapaz que cursa o 5º período de Engenharia mecânica, saiu para ir à aula às 6h, no entanto, a universidade informou aos familiares que o jovem não compareceu ao local. O jovem estava com mais de R$ 2 mil para depositar no banco e um notebook na mochila. 

Segundo o pai, o perfil do universitário no Facebook foi apagado horas antes. Ainda de acordo com Vinicius Fernandes, Rafael teria feito um contato com uma amiga por mensagem de celular. Na mensagem o jovem teria dito que "Sonhei que Deus me pegava, me tirava dessa vida, e tô com uma sensação estranha, porque foi um sonho muito real. Mas tô em paz, seja o que Ele quiser”. 

Reportagem do estagiário Luis Araujo

Últimas de Rio De Janeiro