Alerj autoriza estudo da 'pílula do câncer' em parceria com a USP

Objetivo é que testes clínicos sejam feitos em voluntários, mediante laudo médico e consentimento do próprio paciente

Por O Dia

Rio - Projeto de lei protocolado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) autoriza o governo estadual a celebrar convênio com a Universidade do Estado de São Paulo (USP) para estudo da fosfoetanolamina, a conhecida ‘pílula do câncer’.

O objetivo é que hospitais especializados no Rio, principalmente o Instituto Nacional do Câncer (Inca), acompanhem de perto as pesquisas e possam avançar na regularização e comercialização do medicamento. “E que, no futuro, os pacientes assistidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) tenham acesso gratuitamente à pílula”, disse a deputada estadual Marcia Jeovani (PR-RJ), autora do projeto.

Alheia à burocracia e polêmica envolvendo órgãos de fiscalização federais, a ideia é que os testes clínicos sejam feitos em voluntários, mediante laudo médico e consentimento do próprio paciente. “A eficácia da substância tem surpreendido pessoas com estágio avançado da doença”, explica a deputada. O projeto ainda passará por comissões internas antes de ser levado a plenário.

Últimas de Rio De Janeiro