Pai de Rian Brito culpa chá do Santo Daime por morte

Nizo Neto fala sobre uso de bebida alucinógena comum em seita: ‘Tenho obrigação de alertar pais’

Por O Dia

Rio - Ainda inconformado com a morte do filho, Nizo Neto fez um desabafo em um vídeo nas redes sociais sobre o uso de uma bebida alucinógena por Rian Brito. Para o filho do humorista Chico Anysio, os efeitos do Ayahuasca, conhecido como Chá do Santo Daime, teriam levado o jovem estudante de Música, de 25 anos, a desaparecer de casa e se isolar em uma praia do litoral norte fluminense, onde se afogou após longo jejum.

“Como pai, me sinto na obrigação de alertar outros pais sobre os perigos do Ayahuasca”, diz Nizo no vídeo, ao lado da mulher, Tatiana Presser. O chá é feito a partir da mistura de ervas consumidas em rituais xamânicos e usado na seita Porta do Sol, dirigida pela atriz Leona Cavalli.

 

Alguns esclarecimentos sobre Rian e o consumo de Ayahuasca.Com Tatiana Presser

Publicado por Nizo Neto em Quarta, 9 de março de 2016

“Não estou criticando a crença de ninguém. Todo mundo tem direito de seguir o que quiser, espiritual, religiosamente. A questão é como a Ayahuasca legalizada é administrada em algumas igrejas ou centros, seja lá o que for”, disse Nizo. Ele contou que só soube que o rapaz usava altas doses do chá porque passou a emagrecer muito, chegando a ficar internado, com pouco mais de 40 quilos.

Tatiana, que é psicóloga, disse que o comportamento do enteado nos últimos 14 anos sempre foi normal. “Não apresentava nenhum problema psiquiátrico, não fazia uso de nenhum tipo de medicação, não fazia terapia... Não tinha nenhuma tendência, deprimido ou predisposição a alguma doença mental. Era um jovem procurando se conhecer. Sempre foi muito inteligente e sensível”.

Rapaz é achado morto em parque

Esta quinta-feira foi de tristeza para a família do estudante de Direito da Uerj, Wellington Guimarães de Araújo, 21, desaparecido desde segunda-feira. Morador de Santa Cruz, seu corpo foi encontrado no Parque Estadual da Pedra Branca, na Zona Oeste. A Polícia Civil investiga as circunstâncias da morte. Numa rede social, antes de sair de casa, ele escreveu: “Hoje é meu último dia”. Já para Vinicius Fernandes, pai de Rafael, 22, estudante de Engenharia da UFRJ desaparecido também desde segunda, o dia de ontem foi de alívio. Por telefone, o jovem avisou à família que está em Pernambuco e saudável.

Últimas de Rio De Janeiro