Por adriano.araujo

Rio - Abalada pela perda do irmão, Francisco Félix Barbosa, 42 anos, morto no desabamento na comunidade Chácara do Céu, no Leblon, causado pelo temporal do último sábado, Lusanira Félix Barbosa, de 52 anos, sente sua dor potencializada por conta de um telefonema que pensou em fazer, mas que não houve tempo.

"Pensei em ligar para ele naquele dia, a gente não se falava desde quinta-feira. De repente, vem a notícia de que ele estava muito mal no hospital. Fui correndo, imaginei encontrá-lo vivo, mas ele já estava morto", lamentou.

LEIA MAIS: Rio tem previsão de chuva até quinta

Chicão para os familiares e Light para os amigos da comunidade, Francisco estava junto com Luciano Modesto, o Tico, de 38 anos, ajudando uma terceira pessoa a derrubar um muro para liberar a passagem da água e diminuir a tragédia na comunidade, quando foram levados pela enxurrada. Tico, filho do presidente do bloco Empurra Que Pega, Luiz Modesto, também acabou morrendo no deslizamento.

Francisco chegou a ser levado para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, mas morreu ao dar entrada na unidade. Seu enterro estava previsto para acontecer às 13h, mas às 14h30 o corpo ainda havia chegado ao Cemitério do Caju, na Zona Portuária, onde cerca de 40 pessoas aguradam para a última despedida.

Reportagem da estagiária Carolina Moura

Você pode gostar