Manifestações pró-impeachment perdem força

No Rio, protesto aconteceu na Praia de Copacabana. Curitiba, Belo Horizonte e São Paulo também tiveram pequenos atos

Por O Dia

Rio - Cerca de 30 manifestantes protestaram ontem, na orla da Praia de Copacabana, pedindo a renúncia da presidente Dilma Rousseff. Vestindo verde e amarelo e cantando palavras de ordem, eles pediram também a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Os manifestantes se reuniram no Posto 5 e seguiram em direção ao Leme. Esta tem sido a rotina de Claudio Patrício, 42 anos. “Todos os dias, sempre no mesmo lugar, nós protestamos contra este governo corrupto”, contou ele. A aposentada Olinda Madureira, 71, também aderiu ao protesto. “Minha bandeira jamais será vermelha, jamais será PT. A situação não pode ficar como está”.

A aposentada Olinda Madureira%2C de 71 anos%2C quer a saída da presidente DilmaAlexandro Auler / Agência O DIA

Mesmo quem não participou do protesto mostrou apoio ao movimento. Em frente a um dos quiosques da orla, o grupo foi aplaudido. “Eu apoio quem está lutando, quero o PT fora do governo. Isto que está acontecendo é uma traição”, disse Samuel Oliveira, 67. Já o O professor universitário Sidnei Persia, 48, afirmou ser contra o impeachment. “É claro que as denúncias tem que ser investigadas, mas sem este linchamento público. Sou a favor da democracia”, opinou o professor.

Ontem, também aconteceram pequenos atos pró-impeachment em Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG) e São Paulo, onde manifestantes antigoverno seguem acampados na Avenida Paulista. No local, eles fizeram um buzinaço e levaram bonecos de Lula e Moro.

Grupo protestou em Copacabana e pediu o afastamento da presidente DilmaAlexandro Auler / Agência O DIA


Últimas de Rio De Janeiro