Barra em Dia: Modelo português de cassinos é melhor para turismo

Proposta legislativa brasileira que está na reta final deve ser ampliada e abrir mão de um conceito antigo de cassinos

Por O Dia

Rio - A legalização da operação dos cassinos no Brasil pode ser uma rara oportunidade para oxigenar financeiramente a promoção do turismo internacional do Brasil e amenizar os problemas gerados pela super oferta hoteleira de alguns destinos, especialmente o Rio,especialmente a Barra que triplicou as suas unidades hoteleiras para atender os compromissos pré-olímpicos. Uma das matrizes que liga os cassinos ao turismo e que pode ser aplicada no Brasil é o de Portugal, que através de instrumentos legais irriga a promoção internacional e a construção de equipamentos com o dinheiro arrecadado pelos jogos.

O modelo Português prioriza também a instalação de cassinos que são grandes centros de entretenimento onde também se joga. A proposta legislativa brasileira que está na reta final deve ser ampliada e abrir mão de um conceito antigo de hotéis/cassinos longe dos grandes centros. Como ele foi amarrado não trará benefícios diretos para os polos hoteleiros pré-instalados em função da copa e das olimpíadas.

Em click de Vera Donato no espaço VIP do Hilton Barra%2C o casal Paulo Senise (presidente da Turisrio) e Laura Castagnini gerente geral do HotelBarra em Dia

A chance da Barra

A permissão de três cassinos por estado permite também a proliferação de cassinos em todo o Brasil, o que não significa que sejam viáveis economicamente. A um excesso em nome de uma isonimia federativa. Um dos maiores especialista em cassinos na Europa é o português Mario Assis Ferreira que preside o Conselho de Administração da Estoril Sol, proprietária do Casino do Estoril (em Portugal a palavra é grafada com um só “s”) que defende de forma veemente a instalação de um complexo na Barra da Tijuca. Considera está região pronta para ter o mais importante do Brasil. O setor do turismo não pode ficar longe deste debate. É possível avançarmos com um projeto sadio e que oxigene o nosso turismo e principalmente a vida artística.

Seminário com especialistas

O boom do Rio como centro de lazer internacional nos anos 40, com grandes shows e espetáculos se deve ao cassinos da cidade. Ao fecha-los ficamos mais pobres e milhares de artistas foram desempregados. O Brasil está pronto e Portugal tem muito mais a nos ensinar do que Las Vegas. Um grande cassino independente na Barra, que funcione como centro de lazer pode ser a solução para o parque hoteleiro instalado. A Associação de hotéis vai promover um grande seminário ainda neste primeiro semestre para debater as chances da Barra ganhar um grande cassino. Um grande entusiasta e que apoia a iniciativa é Sergio Ricardo de Almeida, presidente da Loterj e ex-secretário estadual de turismo.

Astuto com Marcia Verissimo Barra em Dia

CURTAS

Durante o feriado de Páscoa, o complexo BarraShopping e New York City Center funcionará em horário especial. Na sexta-feira, dia 25 de março, as lojas estarão abertas das 15h às 21h. Já no sábado, dia 26, e no domingo, dia 27, o funcionamento volta a ser o habitual das 10h às 22h, e das 13h às 21h, respectivamente.

Nesta terça-feira, a cantora ??Lu Galldini faz show gratuito no palco do New York City Center ?com canções de Djavan, Jorge Vercillo, Paralamas do Sucesso, Maria Gadú, Ana Carolina e muito mais.

O jornalista Bruno Astuto realizou palestra para convidados vips do Village Mall está semana

O Hilton Barra fechou parceria com a Cidade das Artes e terá um lounge exclusivo. O espaço foi aberto nesta quinta-feira, 17, para a estreia do espetáculo DANDAN, um dos mais aclamados do grupo percussivo japonês Kodo. A ação está em linha com o compromisso do hotel de valorizar a arte e eventos culturais e será realizada também em outros espetáculos da temporada.

E-mail do colunista: Claudio.magnavita@odia.com.br

Últimas de Rio De Janeiro