Cedae monta casa para famílias atingidas por rompimento de tubulação

Defensoria e a concessionária visitaram moradias e levantaram danos materiais, causados pela invasão da água nos imóveis

Por O Dia

Rio - Depois do sufoco de ficar uma semana sem bens essenciais como geladeira, as 132 famílias que perderam móveis e eletrodomésticos em um rompimento de tubulação da Cedae, no último dia 22, no bairro Prados Verdes, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, começaram, nesta quarta-feira, a mobiliar a casa. A Defensoria Pública do Estado e a concessionária visitaram as moradias e levantaram os danos materiais, causados pela invasão da água nos imóveis. Desde esta quarta-feira a empresa iniciou a reposição, que deve ser feita até esta sexta-feira.

Moradores atingidos pelo estouro da tubulação ganharam móveisDivulgação

A Defensora Pública Larissa Davidovich acompanhou as compras e disse notar a surpresa nos moradores. “Alguns estavam admirados porque o termo de cooperação entre a Cedae e Defensoria Pública foi assinado em menos de 24h após o acidente”, disse ela. “A ajuda emergencial foi entregue essa semana. Agora eles foram escolher os móveis, fogões, geladeiras, mesas. Vão ter tudo de volta”, acrescentou.

Anita Araújo, de 33 anos, casada e mãe de dois filhos não escondeu a felicidade. ”Graças a Deus eles repuseram tudo. Estávamos preocupados, a gente tinha comprado tudo no ano passado. Foram mais de R$ 20 mil em compras. Tivemos tudo de volta, fogão, geladeira, entre outros”, disse. Medicamentos também foram ressarcidos.

Um dos diretores da Cedae, Marcello Motta, afirmou que a companhia ainda está apurando a causa do rompimento da tubulação. “Normalmente, é ocasionado por ação externa do homem ou por ligação clandestina”, disse.

Últimas de Rio De Janeiro