Polícia vai investigar lideranças dos protestos de taxistas

Delegado apura disseminação de áudio que incentiva agressões a Uber. Nova manifestação é cogitada para sexta

Por O Dia

Rio - Taxistas suspeitos de organizar o protesto contra o aplicativo Uber que parou a cidade na sexta-feira estão sendo alvos de investigação pela Polícia Civil. O delegado titular da Delegacia de Defesa do Consumidor (Decom), Gilberto Ribeiro, apura se um dos líderes do movimento, André Oliveira, conhecido como ‘André do Táxi’, teria envolvimento na disseminação, via redes sociais, de áudio que incentiva taxistas a xingar e agredir motoristas do Uber.

Taxistas pararam a cidade%2C na sexta-feira%2C para protestar contra o UberSeverino Silva / Agência O Dia

A partir desta terça-feira, os motoristas do Uber serão ouvidos pela polícia para dar direção às investigações. Posteriormente, o delegado chamará os taxistas para depor. Segundo Ronaldo Oliveira, diretor geral das delegacias especializadas, os chefes do protesto serão responsabilizados pelo transtorno à população. “A Polícia Civil não vai medir esforços para responsabilizar as pessoas que causaram desconforto à população, praticando crimes”, disse Ronaldo.

Representantes de taxistas pretendem se reunir amanhã com a prefeitura e, dependendo do resultado das conversas, planejam novas manifestações, provavelmente na próxima sexta. O prefeito Eduardo Paes já declarou que irá cassar licenças de taxistas que fecharem as vias da cidade para protestar.

Com a liderança fragmentada, parte do movimento planeja outros tipos de protesto. “Estamos nos articulando para fazer manifestações que causem menos danos. Pretendemos usar bicicletas e fazer caminhadas como forma de protesto”, afirmou Samir Ward, do Conselho Regional dos Taxistas.

Igor Santos, do Sindicato dos Taxistas Autônomos, informou que vai esperar a reunião de quarta-feira para decidir o que fazer. “A gente vai para reunião de peito aberto. A categoria precisa muito da prefeitura.”

?Reportagem da estagiária Carolina Moura

Últimas de Rio De Janeiro