Defensoria deve assinar Termo de Compromisso com a CEG nesta sexta

Acordo prevê assistência médica, psicológica e habitacional aos moradores, além de ajuda de custo e demais serviços

Por O Dia

Rio - A Defensoria Pública deve assinar com a CEG nesta sexta-feira um Termo de Compromisso para a prestação de medidas emergenciais aos familiares e às vítimas da explosão ocorrida há dois dias no conjunto habitacional Fazenda Botafogo, em Coelho Neto, na Zona Norte. O acordo proposto pelo órgão nesta quinta-feira prevê assistência médica, psicológica e habitacional aos moradores, além de ajuda de custo e demais serviços.

A proposta de assistência emergencial até a conclusão do laudo do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), cujo prazo é de 30 dias, foi apresentada em reunião realizada no gabinete do defensor-geral do Estado, André Castro, com a presença dele, da coordenadora do Núcleo de Defesa do Consumidor (Nudecon), Patricia Cardoso, e do subcoordenador do núcleo, Eduardo Chow. Para representar a CEG, a empresa enviou seu presidente, Bruno Armbrust, além da diretora de serviços jurídicos, Kátia Valverde Junqueira, e da diretora de Comunicação, Fernanda Amaral.

LEIA MAIS:

CEG garante não ter detectado vazamento de gás em condomínio

Comoção e revolta no enterro dos cinco mortos na explosão em Coelho Neto

'Parece um cenário de guerra', diz filho de casal morto em explosão de gás

Vistoria de gás pode evitar tragédias

Explosão pode render mais de R$ 12 milhões em multas à CEG

Moradores recebem prefeito com vaias após explosão em conjunto habitacional

Adolescente morta em explosão na Zona Norte sonhava em ser bailarina

Explosão em tubulação de gás deixa mortos na Zona Norte

"A CEG sinalizou com a possibilidade de celebrar o Termo de Compromisso em benefício de todos que, de alguma forma, foram prejudicados com o lamentável acidente. A vantagem da celebração de um acordo extrajudicial é, justamente, evitar a demora de uma ação judicial, garantindo a essas pessoas uma reparação rápida e efetiva", destacou André Castro.

Mais cedo, em reunião, Patricia Cardoso e Eduardo Chow deram orientações jurídicas a cerca de 20 moradores do conjunto habitacional. "Ficamos muito satisfeitos com a resposta positiva da CEG no sentido de prestar assistência emergencial às vítimas e suas famílias e até que seja divulgado o laudo oficial das causas do acidente. Com isso, a empresa demonstrou atenção à especial condição de vulnerabilidade dos consumidores e à sua responsabilidade social", destacou Patricia Cardoso.

Últimas de Rio De Janeiro