Policiais são presos dormindo em serviço em Madureira

Seis PMs são flagrados tirando soneca em estacionamento em vez de patrulhar ruas e o corredor do BRT

Por O Dia

Rio - Durante o dia, a Rua Dona Clara, em Madureira, tem crianças andando de bicicleta, residências e um pequeno comércio. A tranquilidade da via, localizada em área que possui altos índices de criminalidade, chamou a atenção de um grupo de policiais do 9 º BPM (Rocha Miranda). Eles resolveram usar o estacionamento de uma empresa para dormir, durante o serviço. Na madrugada desta sexta-feira, seis agentes foram presos em flagrante. 

As prisões foram realizadas por agentes da Corregedoria da PM, após uma denúncia. Há pelo menos dois meses policiais usavam o estacionamento interno de um dos comércios para dormir. Ainda segundo o denunciante, em algumas noites, até oito viaturas poderiam ser vistas no local.

PMs dormiam em estacionamento de empresa em rua tranquila de região com alto índice de criminalidadeGoogle Street View

De acordo com o resumo da ocorrência, os agentes da corregedoria mantiveram na madrugada “uma vigilância que culminou com a visualização de três viaturas adentrando ao local, onde ficaram por quase uma hora.”

Foram presos três sargentos e três soldados, todos lotados no 9º BPM. Cada dupla estava em uma viatura, que tinha uma ordem específica de policiamento. Um dos carros era o Pamesp (Policiamento Motorizado Especializado) que deveria estar patrulhando os corredores de BRT da região. As outras duas eram as viaturas do setor Eco e setor Delta, que atuam como rádio-patrulha.

O batalhão de Rocha Miranda é responsável pelo policiamento de 16 bairros, que têm o policiamento dividido em oito áreas e cada região possui uma rádio-patrulha nomeada com o alfabeto fonético. Ou seja, durante pelo menos uma hora, quatro bairros ficaram completamente sem policiamento.

Procurado pelo DIA, o comandante da unidade, coronel Roberto Garcia, não retornou às ligações. A assessoria da PM não informou se os agentes possuíam defesa.

Policiais da unidade afirmaram que o motivo da soneca noturna é a escala. “É desumana. A gente trabalha 12 horas, chega em casa e já tem que acordar para cumprir outra jornada de 12 horas. Não há quem aguente”, afirmou um agente.

O promotor Paulo Roberto Mello, que deverá acatar ou não a denúncia, se disse surpreso com a atitude dos policiais. “Ainda não recebi os autos. Se confirmado o fato, trata-se de verdadeiro absurdo. Completo descompromisso com a corporação e comunidade, inaceitável em profissionais de Segurança Pública”, disse. Os seis agentes foram encaminhados à Unidade Prisional da PM, em Niterói, e podem ser indiciados por descumprimento da missão e dormir em serviço.

Últimas de Rio De Janeiro