Vereador entra com pedido de habeas corpus para impedir prisão de bombeiro

Marcio Garcia (Rede) impetrou junto ao TJ-RJ pedido para evitar que o cabo Altamir Cruz, que tentou ir da Ilha a Niterói a pé, seja preso

Por O Dia

Rio - Temendo represálias por parte do comando do Corpo de Bombeiros, o vereador Marcio Garcia (Rede) impetrou junto ao Tribunal de Justiça do Rio um pedido de habeas corpus preventivo em favor do cabo dos bombeiros, Altamir Cruz, de 31 anos. O HC preventivo é para impedir a prisão do agente. 

Bombeiros protestam em defesa de cabo Cruz, que iria até Niterói a pé

Sem dinheiro da passagem, bombeiro tenta ir caminhando da Ilha até Niterói

Idosa deixa carta e dinheiro para bombeiro que foi trabalhar a pé

Cabo Altamir CruzDivulgação

No último dia 7, o cabo que mora na Ilha do Governador, e sem condições de pagar a passagem, por conta da crise do Governo do Estado que está devendo o funcionalismo público, decidiu ir a pé até o quartel de Charitas, em Niterói, um caminho de 32 km, para participar de um curso.

Como o DIA mostrou, na quarta-feira, o bombeiro que atua como técnico em enfermagem já havia dito ao seu comando que não tinha dinheiro para a passagem de ônibus. Escutou que se não fosse ao treinamento seria punido. Sua esposa e filha de 4 anos dependem da sua renda como militar. Para evitar a prisão acatou a ordem, seguindo a pé. Ele chegou a caminhar por 21 km, mas na entrada da Ponte Rio-Niterói, foi levado por uma viatura dos bombeiros até o quartel.

Segundo o documento conseguido com exclusividade pelo DIA, o vereador afirma que o cabo "até a presente data não recebeu o seu auxílio-transporte no valor de R$ 100,00 (cem reais), nem tampouco os seus vencimentos referentes ao mês de março". Ainda de acordo com o pedido de Habeas Corpus, o bombeiro só tomou essa decisão "desesperada" por falta de auxílio da passagem.

Informações obtidas pelo DIA apontam que o 1º Grupamento de Socorro e Emergência do Corpo de Bombeiros teria pedido a abertura de um procedimento disciplinar para apurar a conduta do cabo Altamir Cruz.

Na quinta-feira, dia em que o cabo decidiu ir da Ilha à Niterói, a assessoria de imprensa dos bombeiros disse que a corporação não entendeu como protesto a atitude do cabo Cruz e que ele não seria punido.

Em nota o Corpo de Bombeiros afirmou que ainda não foi comunicado oficialmente sobre o habeas corpus preventivo em favor do cabo Altamir Cruz. Ainda de acordo com o comunicado, a corporação não abriu procedimento disciplinar para apurar a conduta do agente. Por fim, o órgão reafirma que ele não foi punido pelo seu ato. No entanto, o Corpo de Bombeiros não informou se o militar sofrerá algum tipo de sansão futuramente.

Confira o pedido de habeas corpus preventivo aqui

Últimas de Rio De Janeiro