Exército libera spray de pimenta piperina que será fabricado para mulheres

Uso de pimenta para defesa pessoal divide opiniões de especialistas

Por O Dia

Produto poderá ser usado pela Guarda Municipal e segurança privadaReprodução

Rio - Polêmica à vista. Até o final de junho, mulheres poderão ter na bolsa, além de itens de beleza, spray de pimenta para defesa pessoal, fabricado especialmente para elas. O produto, que divide opiniões, foi lançado pela Condor nesta terça-feira, durante a LAAD Security 2016 – Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa, no Riocentro, na Barra da Tijuca. O evento mostra novas tecnologias no setor para a Olimpíada.

O spray será destinado também à Guarda Municipal e à segurança privada. Para as mulheres se defenderem de assaltantes, perseguições, estupradores e sequestradores, a embalagem será na cor rosa. Por lei, spray de pimenta é controlado pelo Exército. A Condor informou que o novo spray usará como base pimenta do tipo piperina, conhecida como pimenta preta, que, ao contrário da malagueta, usada pela polícia em controle de distúrbios, não faz parte do rol de produtos controlados pelas Forças Armadas.

A Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados (DFPC) informou, por meio de nota, que, "após estudo, constatou-se que os efeitos fisiológicos lacrimogênicos do spray de piperina são menos intensos que os agentes tradicionalmente utilizados (CS e OC); há facilidade de descontaminação com água e podem ser empregados em locais fechados, pois apresentam jato direcionado e, devido à baixa dispersão destes produtos, não contaminam o ambiente. Em decorrência do exposto, por não serem de interesse militar, o spray de piperina não se enquadra no Anexo I (Relação de Produtos Controlados pelo Exército) do Regulamento para a Fiscalização de Produtos Controlados, R-105, aprovado pelo Decreto 3.665, de 20 Nov 2000", ressalta a nota.

Paulo Storani, ex-capitão do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e consultor em segurança, diz que a novidade é bem vinda para ser usada em situações extremas. “Vou comprar um para minha mulher e outra para minha filha. Esse dispositivo, sabendo ser usado, diminui o ímpeto do agressor”, acredita.

Para outro especialista, José Vicente Filho, ex-secretário nacional de Segurança, o uso do spray é perigoso. “Se a vítima não souber utilizá-lo, sem instrução e treinamento, estará correndo sério risco”, adverte. O preço do spray, que inicialmente será vendido em lojas de material de caça e pesca, ainda não foi definido.

O coronel do Exército, consultor e especialista em armas, Júlio Medeiros, não aprova o uso de spray de piperina. "Usar de forma inadequada um produto que não tem tanta eficácia quanto aos que já existem no mercado, pode provocar até mesmo a morte da vítima. O agressor, sob efeito de drogas, por exemplo, pode não sentir os efeitos desejados de quem utiliza o produto e ficar ainda mais violento. Eu não aconselho o uso, por exemplo, para minha mulher e minhas duas filhas", diz.

Roupa contra fogo e corte

A secretária Marlene Sobral, de 36 anos, disse que pretende comprar o spray de piperina. “Chego tarde em casa. Já fui assaltada na rua e tenho medo de tarados”, justificou. A estoquista Tereza Silva, de 38, porém, diz temer usar o produto. “Tenho medo de provocar mais ainda a ira do agressor”, afirmou.

Durante a LAAD Security, a Condor lançará outras inovações, como um traje antidistúrbio ultraflexível (uma espécie de segunda pele, que pesa pouco mais de um quilo) para proteção policial, resistente a grandes impactos, a chamas e a material cortante; uma nova arma elétrica com sistema wifi; munição elétrica não letal e de borracha marcadora; lançador múltiplo não letal com seis disparos sequenciais; spray de pimenta 360 graus, e gaze coagulante instantânea. Essa última novidade estanca hemorragias em menos de três minutos.

Últimas de Rio De Janeiro