Jovem relata como foi baleada quando seguia para delegacia registrar assalto

'No meio do caminho, teve um tiroteio e a viatura onde estávamos foi atingida', conta Marina Chaves, de 18 anos

Por tiago.frederico

Marina Chaves Correa Matoso Rangel%2C 18 anos%2C teve as duas mãos baleadasSeverino Silva / Agência O Dia

Rio - Marina Chaves Correa Matoso Rangel, 18 anos, recebeu alta do Hospital Federal de Bonsucesso, na manhã desta quinta-feira. Quando deixava a unidade, ela falou sobre a noite de terror que viveu nesta quarta-feira. Na ocasião, a jovem foi baleada na nádega, de raspão na cabeça e ferida por estilhaços dentro de uma viatura da Polícia Militar, na Avenida Dom Hélder Câmara, altura do Jacaré, quando seguia para a Central de Garantias, na Cidade da Polícia, para registrar um assalto que havia sofrido minutos antes, próximo ao shopping Boulevard Rio, no Andaraí, Zona Norte da cidade.

"Eu e minha amiga estávamos indo para nossas casas, quando quatro garotos vieram em nossa direção para nos assaltar. Só dois nos abordaram. Eles pediram o celular e nós demos. Logo depois, vimos uma viatura. Os policiais pediram que a gente entrasse no carro para fazer uma procura pelo bairro. A gente foi encontrar os garotos lá no Grajaú. Um deles conseguiu fugir e o outro foi preso. Fomos direto para o Jacarezinho para fazer o registro da ocorrência. No meio do caminho, teve um tiroteio e a viatura onde estávamos foi atingida", relatou.

Amiga de Marina, Daniela do Nascimento Rodrigues, de 21 anos, também ferida na mesma situação, recebeu alta do Hospital de Bonsucesso nesta manhã. Ela teve que passar por uma cirurgia após ser atingida por disparos nas duas mãos.

LEIA MAIS:

Vítimas de assalto são baleadas dentro de viatura da PM a caminho da delegacia

Prisões em flagrante na Zona Norte serão registradas somente em Benfica

O rapaz suspeito de realizar o assalto seguia na outra viatura, mas nada sofreu. Segundo o comando do 6º BPM, ele foi encontrado na Rua Grajaú, por volta das 21h30. O registro de ocorrência foi realizado na Central de Flagrantes da Polícia Civil. A unidade foi inaugurada nesta semana para substituir as antigas 15 centrais de flagrantes que existiam em toda a Zona Norte.

Pai de Marina mostra chapas do raio-x que jovem fez. Ela teve as duas mãos atingidas por disparos na noite desta quarta-feiraSeverino Silva / Agência O Dia


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia