Corpo de aposentado morto em Niterói será enterrado neste sábado

Horário de sepultamento foi alterado por causa da demora no reconhecimento da vítima no IML

Por O Dia

João Bosco está desaparecido desde a manhã deste sábadoReprodução Internet

Rio - O aposentado João Bosco Neves de Oliveira, de 83 anos, que foi encontrado morto nesta quinta-feira, em Niterói, será enterrado a partir das 15h deste sábado, no Cemitério Parque da Colina, em Pendotiba. Inicialmente, o sepultamento estava marcado para às 10h, mas foi adiado porque o perito do Instituto Médico Legal (IML) demorou a reconhecer a vítima.

A mudança de horário foi avisada pela filha Letícia Neves, por meio de uma rede social. "Não haverá velório, mas teremos um ponto de encontro na capela 1 do mesmo cemitério", ressaltou.

Além disso, Letícia ainda agradeceu às mensagens de carinho e solidariedade que tem recebido durante este período. Em outra publicação, ela compartilhou uma postagem do neto de João Bosco e reforçou que o pai dela "ensinou o amor, mas não pobre de sentido, aquele da boca para fora, mas um como resposta de encontros, como ato". 

O corpo de João Bosco foi encontrado na mata na Estrada Pacheco de Carvalho, próximo ao Parque da Colina, no bairro Maceió. Segundo o delegado Fábio Barucke, titular da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNISG), a vítima tinha marcas de espancamento.

“O senhor foi levado para um caixa eletrônico, mas ao dizer que não lembrava a senha foi espancado pelos criminosos e abandonado no matagal”, revelou Barucke.

Niteroienses lamentam morte brutal do idoso

A população de Niterói usou as redes sociais para lamentar a brutal morte de João Bosco e pedir o fim da violência na cidade. Muitos trocaram suas fotos nos perfis para a frase: "Niterói de luto" e alguns moradores também propõem um ato na cidade contra a ação dos criminosos.

LEIA MAIS

IML tem dificuldades para reconhecer corpo de aposentado morto em Niterói

Polícia acredita que idoso desaparecido em Niterói esteja morto

"Triste demais com o fim trágico dessa história, onde vamos parar? E as autoridades? O que fazem, meu Deus? Estou com meu coração partido, o senhor João não é da minha família, mas sinto como se fosse. Onde vamos chegar com tanta crueldade? Quando isso vai acabar?".

"Niterói está de luto pela crueldade com seu João. Cada um de nós que hoje se encontra em casa deveríamos prestar uma homenagem a esse senhor. Não conhecemos a família, mas poderíamos cada um dentro da sua possibilidade ir ao enterro desse senhor. vamos protestar de forma diferente. Luto, Niterói! Poderia ser um de nós ou um ente querido nosso".

Últimas de Rio De Janeiro