Polícia realiza operação no Jacarezinho

Circulação de trens do ramal Belford Roxo ficou interrompida por cerca de 45 minutos

Por O Dia

Rio - Após um fim de semana de intenso tiroteio no Complexo do Alemão, mais uma comunidade amanheceu ao som de disparos entre policiais e traficantes. Por volta das 10h, moradores do Jacarezinho não conseguiam deixar as suas casas por conta de uma operação da Polícia Civil. Um suspeito morreu e a circulação dos trens do ramal Belford Roxo foi interrompida pela sétima vez em menos de três semanas pelo mesmo motivo.

O tiroteio foi o terceiro registrado desde o início do mês no Jacarezinho. Moradores de rua protestaram contra a operação, ateando fogo em pedaços de madeira. Eles interromperam uma faixa em dois pontos da Avenida Dom Helder Câmara. O confronto prejudicou cerca de 1.100 passageiros que circulam nos trens, em média, durante os 45 minutos em que tráfego foi interrompido, segundo a SuperVia.

Enquanto a polícia entrava na comunidade, uma moradora chorava pela filha que estava passando mal em casa. “Eu tive que deixar o trabalho, ela me ligou dizendo que estava passando mal e agora eu não consigo chegar em casa porque vou ter que passar entre os tiros”, disse, abalada.

A operação da Polícia Civil interrompeu por 45 minutos a circulação dos trens do ramal de Belford RoxoSeverino Silva / Agência O Dia

Já nos entornos do Complexo do Alemão, que teve dois suspeitos mortos e nove feridos no fim de semana, moradores buscavam voltar à rotina após mais de 36h de pânico. “Tivemos a primeira noite tranquila. Espero que continue assim”, disse um homem.

A PM diz estar encontrando resistência nas várias favelas do complexo e mantém desde o final de semana reforço no policiamento. Assim mesmo, moradores ainda têm medo de novos confrontos e, nas redes sociais, alertam para “o perigo de balas perdidas, mesmo dentro de nossas casas”.

Para o delegado Fabio Asty, titular da 45ª DP (Alemão), o confronto foi revide de traficantes. “Nós baleamos e prendemos um criminoso na sexta-feira. Por conta disso, traficantes da área fizeram ataques, em retaliação, contra unidades da PM que patrulham a comunidade. Foi necessário uma resposta com estas operações, mas a madrugada desta segunda-feira foi tranquila e a tendência é a situação se normalizar”, explicou.

Baleado em um dos vários tiroteios no Alemão, o menino Iury de Souza Calheiros, de 7 anos, teve alta do Hospital Souza Aguiar. Já Thiago da Silva Pereira, 19, continua internado, em estado grave, no Hospital Salgado Filho, onde passou por cirurgia. O menino foi atingido na perna, na sexta-feira, quando brincava na porta da casa de um tio, no momento em que bandidos e policiais trocavam tiros. Já o rapaz participava de festa em uma laje, quando foi atingido no abdome.

Últimas de Rio De Janeiro