Por gabriela.mattos

Rio - Emprego, saúde, família e casamento. De acordo com o padre Geraldo Avelino, da Igreja de Santo Expedito, na Penha, esses foram os pedidos mais recorrentes nesta terça-feira durante a celebração do santo das causas justas e urgentes. Ao longo do dia, quatro missas e uma procissão levaram milhares de devotos à igreja da Zona Norte para pedir e, acima de tudo, agradecer ao santo por feitos alcançados por sua intercessão.

A devota Elma Maria Lourenço credita a Santo Expedito o fato de sua filha ter voltado a andar. “Hoje ela anda, está curada. Os médicos não acreditavam”, comentou, com convicção. “Também consegui minha aposentadoria este ano. Só vim agradecer”, completou.

Da igreja na Penha%2C fiéis seguiram em procissão pelas ruas do bairroAlexandre Brum / Agência O Dia

Para o fiel João Ribeiro, a principal graça foi a aprovação da filha na prova da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). E, para ilustrar a força de Santo Expedito que fez sua fé crescer ainda mais, ele contou uma história que envolveu o motorista de sua empresa. Ao ser sequestrado, pediram ao condutor os documentos. Abriram a carteira dele e viram a imagem do santo, que, conta Ribeiro, fez os sequestradores desistirem da ação. “A imagem dele causou temor”, contou.

Nas ruas, um desejo é comum: saúde para as famílias. Raimunda Lima, 53, é uma das que têm essa esperança. “E paz para o Brasil”, pediu. Outra que almeja saúde para os familiares é Laura Aguiar, 70. Ao país, porém, o pedido da idosa é um pouco mais aberto e impreciso: “Que melhore!”.

Na Penha, o subtenente da Polícia Civil, Marco Carbonelli, fez questão de reforçar a importância da gratidão. “Agradeço todos os dias em que estou vivo, e é isso que todo mundo tinha que fazer”, comentou.

Reportagem do estagiário Caio Sartori

Você pode gostar