Por tabata.uchoa

Rio - Após mais de 24 horas de abastecimento de água irregular por conta do rompimento de uma tubulação na Avenida Radial Oeste, moradores de diversas partes do Rio de Janeiro tiveram o serviço normalizado, porém, o sistema ainda apresentava escassez em alguns bairros da cidade. De acordo com a Cedae, o reparo da tubulação já foi feito e o asfalto será recolocado nos próximos dias. 

No início da manhã de quarta-feira, a região do Maracanã virou um enorme piscinão após o rompimento. Foi aberta uma cratera de 24 metros quadrados, por dois metros de profundidade, na pista da Avenida Radial Oeste, no sentido Centro. O vazamento de água, na altura do Museu do Índio, provocou mais de três quilômetros de engarrafamentos, com reflexos até o Engenho Novo. Pelo menos 14 bairros tiveram o abastecimento reduzido.

A cratera foi coberta após o conserto da tubulação na Avenida Radial Oeste%2C e trânsito segue interrompidoSeverino Silva / Agência O Dia

Segundo a Cedae, o buraco foi totalmente fechado por volta das 21h de quarta-feira. No entanto, durante a manhã de ontem, cariocas continuavam relatando alterações no abastecimento em várias partes da cidade. “Só estava caindo um filete da torneira na quarta. Agora está saindo mais água, porém, ainda menos do que o normal. Foi complicado passar esse dia de calor absurdo com pouca água”, afirmou o estudante Ulisses Queiroz, de 23 anos, morador do Cosme Velho, na Zona Sul.

Enquanto funcionários da concessionária trabalhavam na obra de reparação, o aposentado Ramom Silva, 64, aproveitava para fazer exercícios em volta do Maracanã, aliviado pelo fim das torneiras secas em casa. “Dormi torcendo para que a água voltasse logo. Caso contrário, eu nem viria me exercitar. Espero que não aconteça mais”.

A CET Rio informou que a liberação completa da pista vai depender da recuperação total do asfalto, que teve rachaduras. A Cedae disse que sua responsabilidade é sobre o conserto da tubulação e que caberá à prefeitura fazer a recuperação do asfalto. A companhia informou que já solicitou à Secretaria Municipal de Conservação (Seconserva) a contratação da obra.

Teto de hospital desaba na Z. Oeste

Parte do teto de gesso da Emergência Pediátrica do Hospital Municipal Rocha Faria, em Campo Grande, na Zona Oeste da cidade, desabou no início da noite de quarta-feira. A queda foi causada pelo rompimento de uma tubulação de água. No momento do desabamento, ao menos dez crianças estariam sendo atendidas por médicos e enfermeiros.

De acordo com a direção do Rocha Faria, ninguém ficou ferido e todos os pacientes que estavam no local foram removidos para outro setor, para que os reparos pudessem ser realizados. Ainda de acordo com a unidade médica, nenhum paciente ou funcionário foi atingido e o atendimento não chegou a ser interrompido.

O hospital disse ainda que o conserto já foi iniciado e, até sua conclusão, a Emergência Pediátrica funcionará em outra área do hospital. Não foi informado o prazo para término dos reparos.

Você pode gostar