Mulheres ocupam Alerj e Câmara em protesto contra Eduardo Cunha e Bolsonaro

As manifestantes deixaram o prédio da Alerj e seguiram em passeata até a Cinelândia

Por O Dia

Rio - Centenas de mulheres ocuparam, no início da noite de ontem, as escadarias da Assembleia Legislativa (Alerj) em protesto contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e o deputados federal Jair Bolsonaro.

As manifestantes deixaram o prédio da Alerj e seguiram em passeata até a Cinelândia, onde passaram a ocupar as escadarias da Câmara dos Vereadores. No trajeto, após seguidas provocações e ofensas de um ambulante, uma das mulheres cuspiu em seu rosto, gerando um tumulto rapidamente controlado pela Polícia Militar.

“É incrível ainda ter gente que defenda políticos do naipe de Bolsonaro, um nazista que apóia a tortura, e o Cunha, um milionário com contas na Suíça que financia um golpe de contra uma presidente que não tem um real no bolso”, protestou a estudante Nádia Oliveira.
Durante votação do impeachment na Câmara, Bolsonaro dedicou seu voto ao coronel Ustra, militar acusado de tortura. 

Últimas de Rio De Janeiro