Ressaca destrói parte do calçadão da orla de Piratininga, em Niterói

Litoral fluminense pode ser atingido por ondas de 2,5m a 3,5m até a próxima sexta, segundo Centro de Hidrografia da Marinha

Por O Dia

Rio - A ressaca destruiu parte do calçadão da olra da Praia de Piratininga, Região Oceância de Niterói. Em um grupo dedicado à cidade no Facebook, moradores publicaram, na manhã desta quinta-feira, imagens do estrago provocado pela força do mar e lamentaram o ocorrido. "Raridade ressaca com essa força", avaliou Wellington Rocha. "Tomando de volta o que é dela", pontou Priscila Sampaio.

Ressaca destruiu parte da Praia de PiratiningaReprodução

A faixa de areia também foi ocupada pela água do mar, assim como vem ocorrendo no Arpoador, na Zona Sul da capital fluminense, desde o início da semana. Em São Conrado, rastros da ressaca também foram vistos nesta manhã. Morador da região, Kadinho Boa da Noite fez uma foto de parte do calçadão do bairro destruído pela água. A imagem foi compartilhada na página do grupo Viva Rocinha na rede social.

Vídeo postado pelo Centro de Operações da Prefeitura do Rio no Facebook mostra a ressaca no Mirante do Leblon nesta manhã. Segundo o Centro de Hidrografia da Marinha, o litoral fluminense pode ser atingido por ondas de 2,5m a 3,5m até as 9h da próxima sexta-feira.

Ressaca também destruiu parte do calçadão da orla de São ConradoReprodução / Facebook
Ressaca destruiu parte da Praia de PiratiningaReprodução


DICAS DO COR PARA O PERÍODO DE RESSACA:
- Evitar o banho de mar em áreas que estejam em condições de ressaca;
- Evitar a prática de esportes no mar;
- Não permanecer em mirantes na orla ou em locais próximos ao mar durante o período de ressaca;
- Os frequentadores de praias devem seguir as orientações das equipes do Corpo de Bombeiros;
- Os pescadores devem evitar navegar durante o período de ressaca;
- Evitar trafegar de bicicleta na orla caso as ondas estejam atingindo a ciclovia;
- Não entrar no mar para resgatar vítimas de acidente. Neste caso, acione imediatamente as equipes do Corpo de Bombeiros pelo telefone 193.


Últimas de Rio De Janeiro