'Dornelles tem que assumir', afirma deputado Átila Nunes

Parlamentar destaca que nunca viu uma situação tão grave como a vivida pela população do Estado do Rio

Por gabriela.mattos

Rio - Não serão fáceis os dias do governador interino Francisco Dornelles (PP), pressionado para mudar o governo formado por Pezão e abrir mais espaço aos partidos, especialmente o PMDB do próprio Pezão e do presidente da Alerj, Jorge Picciani.

Deputado Átila Nunes disse que nunca viu uma situação tão grave vivida pela população do RioDivulgação

O deputado Átila Nunes diz que nunca viu uma situação tão grave como a vivida pela população do Estado do Rio. Ele prevê que o governador titular, afastado para lutar contra o câncer, não voltará tão cedo ao Palácio Guanabara e que, por isso, Dornelles “tem que assumir de fato”. Defende que seu partido, com 16 deputados, se afaste do governo porque “essa administração não representa o PMDB”.

Por que o senhor diz isso?

Jamais o PMDB tomaria a decisão absurda de não pagar aposentados e pensionistas. Essa barbaridade foi uma decisão unilateral do governador, uma completa aberração. Dornelles não discutiu com a base nem com o PMDB. Ele foi eleito com Pezão, mas age como membro do PP, do qual é presidente.

Mas a decisão foi tomada pela equipe montada pelo governador Pezão.

A caneta que tem tinta é a do governador. A decisão foi de Dornelles, sem consultar o PMDB. Pegou a todos nós de surpresa. Não consultar o deputado Picciani foi descortesia e extrema burrice. O governo só respira por aparelhos graças ao Picciani, que garantiu aprovação de mensagens importantes e impopulares do Executivo. Nenhum de nós avalizaria essa barbaridade de não pagar aposentados e viúvas. Além do mais, Dornelles parece absolutamente perdido. É um político experiente e passou por ministérios importantes, mas que tratavam de assuntos específicos. Outra coisa é lidar com essa gama de problemas que dizem respeito a milhões de famílias fluminenses, englobando segurança, transporte, saúde e educação. Nessa toada, o estado fechará as portas em poucos meses. A sensação é de absoluta inoperância. Quem controla o orçamento é a Justiça, que arrestou R$ 648 milhões para pagar 143 mil aposentados e pensionistas. Chega a ser patética a forma de relacionamento com os servidores. Outro dia, ele pediu aos servidores que formassem uma comissão “com a tarefa de apresentar alternativas à crise financeira”. Pela madrugada! Uma coisa é pedir as reivindicações. Outra, é que os servidores deem a solução. Para que, então, o governador? Cadê a equipe dele, o pulso forte, o talento, a experiência de quem já foi ministro duas vezes?

Ele deveria mudar a equipe de Pezão?

Dornelles está no comando do barco. Se a equipe não o atende, que mude os nomes e explique ao Pezão que precisa de pessoas mais experientes para tirar o Rio do caos. O Leonardo Espínola (chefe do Gabinete Civil) vai recorrer da decisão do TJ que deu ganho de causa aos aposentados. É o fim da picada! Dornelles precisa dar ao PMDB autoridade para propor mudanças radicais.

Se ele não agir com autoridade, o Rio vai quebrar na mão dele. O secretário de Educação propôs usar a polícia para tirar estudantes das escolas. O de Transporte ninguém conhece, nem eu sei o nome. É uma fragilidade grande.

Mas eles foram escolhidos por Pezão. O senhor acha correto que o interino troque a equipe toda na ausência do titular? 

Uma coisa é fazermos parte de um governo encabeçado pelo PMDB. Outra é dialogar com o maior líder de outro partido (PP), que tem como prioridade os interesses dos seus partidários, além de uma visão diferente em relação aos servidores. A situação é grave. O Rio está com 40 graus de febre e precisa ir para a emergência, não dá para esperar o Pezão voltar. Ele deve ficar meses no hospital. Eu enfrentei isso com meu filho (morto pelo câncer há três anos). Cada seção de quimioterapia é algo inimaginável, você sai como um zumbi, vomitando, enjoado, com náuseas, não consegue pensar em nada. O Dornelles tem que assumir.

Por acaso o objetivo desse movimento é levar Dornelles à renúncia para Picciani assumir o governo?

Chance zero de ser isso. O Picciani não tem o menor interesse, até porque o estado está na pior situação da história. Dornelles não deve renunciar, é experiente, o nome certo para negociar com o futuro presidente Michel Temer, tem postura para isso. Mas acho que tem que assumir de fato. Pezão não está com dengue ou com gripe, não vai voltar amanhã.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia