Por karilayn.areias
Francisca Dias%3A vacinada cedinhoAlexandro Auler

Rio - Pessoas que não estão no grupo de risco — idosos acima de 65 anos, doentes crônicos, crianças com menos de 5 anos e grávidas de 45 anos pós-parto — também tentaram uma dose nos postos de vacinação para se imunizar do H1N1. A preocupação é que agora a gripe já levou cinco vítimas à morte no país. Todos temem ser atingidos. A pensionista da Marinha, D Maria Elizabete Godói é uma delas. Com 55 anos e aparentemente saudável fez questão de superar o frio para se vacinar. “Eu não quero pegar doenças. Vou me vacinar”, disse a aposentada.

No município do Rio de Janeiro, não faltaram doses e a população compareceu em peso. No Catumbi, na Clínica da Família Sérgio Vieira de Mello, o movimento foi grande, mas o atendimento era rápido.

O maquiador Diego Lopes Miranda, levou os filhos Diogo Silva Miranda, de 2 anos e Brenda Silva Miranda, de 4, para se vacinarem: “Não há frio que me deixe em casa sem vacinar meus filhos. Saúde em primeiro lugar”.

Já a aposentada Maria de Lurdes Rodrigues, 72 anos, disse que a prioridade do dia era cuidar da saúde. Francisca Dias foi cedo para garantir sua dose. Desde o início da vacinação,segunda passada, 373.344 pessoas foram imunizadas. Só ontem, 204.959 pacientes.

Você pode gostar