Avó e neto são baleados na saída da escola na Penha

Polícia nega confronto na região. Morro da Providência protesta contra operações

Por O Dia

Rio - Os seguidos tiroteios no Rio fizeram novas vítimas. Avó e neto foram vítimas de bala perdida ontem à tarde na Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, na Zona Norte. Guilherme Almeida Alves, de 8 anos, voltava da escola com a avó, identificada apenas como Antonia, quando foi atingido na perna. Já ela ficou ferida no joelho e teve que passar por uma cirurgia. Ambos foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, e não correm risco de morte. 

A informação foi confirmada pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), que nega participação na troca de tiros. Segundo a CPP, policiais faziam patrulhamento na localidade da Favelinha quando foram atacados por bandidos que passaram atirando em uma moto nas esquinas das ruas Maragogi e Cajá.

Em redes sociais, moradores da Vila Cruzeiro relataram que houve corre-corre na comunidade e foram ouvidos estrondos de bombas.

MANIFESTAÇÃO
No fim de semana, Elaine Cristina de Souza, foi morta por bala perdida no Alemão, vizinho ao Complexo da Penha.

Uma manifestação de moradores da Providência teve registro de tumulto, no fim da tarde de ontem, próximo à Central do Brasil. Houve correria pelas ruas e, segundo a polícia, o protesto é contra as operações que o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) realizou no local, nos últimos dias.

Por causa da manifestação, a Rua Bento Ribeiro, na altura do Terminal Américo Fontenelle, ficou fechada por algumas horas.

Últimas de Rio De Janeiro